Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal registou mais 10.947 infeções e 166 mortes, um novo máximo para ambos os casos. Há 4.653 pessoas internadas e 638 em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

Desde o início da pandemia já morreram 8.709 pessoas por Covid-19. Este é o sexto dia com mais de 10 mil casos e o primeiro em que Portugal se aproxima dos 11 mil.

É também o quarto dia consecutivo acima dos 10.500 casos, o que dá uma média de 10.721 casos diários, 446,7 pessoas contagiadas por hora e 7,5 pessoas infetadas por minuto.

De acordo como o boletim da DGS divulgado este sábado, o país passou pela primeira vez as 160 mortes. Se na passada quinta-feira Portugal somava 159 óbitos, agora são 166. É também o 9.º dia consecutivo com mais de 100 mortes (desde o dia 8 de janeiro), o que significa que morreram desde essa sexta-feira (8/01) 1.237 pessoas, 137,4 por dia, 5,7 por hora.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nunca houve tantos doentes internados em UCI e em enfermaria

Há mais 93 pessoas internadas (de um total de 4.653) e 16 em Unidades de Cuidados Intensivos (de um total de 638). Nas primeiras duas semanas do ano foram internadas em enfermaria 1.847 pessoas, o que dá 115,4 pessoas internadas por dia e 4,8 pessoas internadas por hora. Desde dia 1 de janeiro há mais 155 pessoas internadas em UCI, o que dá 9,7 por dia. A cada duas horas e meia uma pessoa passa para as Unidades de Cuidados Intensivos.

Há 4.653 pessoas internadas e 638 em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

Contam-se ainda mais 12.661 casos em vigilância ativa, de um total de 155.401, mas também mais 8.477 pessoas recuperadas — desde o início da pandemia já recuperaram 402.542. Atualmente, há mais 2.304 novos casos ativos em Portugal, de um total de 128.165.

Lisboa e Vale do Tejo com mais mortes e mais casos

De acordo com o boletim, Lisboa e Vale do Tejo concentra não só a maior parte dos casos, como dos óbitos. Os números deste sábado permitem perceber que LVT contabiliza 3.975 casos (36,3%) e o Norte outros 3.795 (34,6%). A região Centro soma 2.136 infeções (19,5%). Segue-se o Alentejo com 510 casos (4,6%) e o Algarve com 402 (3,7). A Madeira regista 79 casos (0,72%) e os Açores outros 50 (0,45%).

No que às mortes a lamentar diz respeito, Lisboa e Vale do Tejo regista 69 mortes do total de 166 (41,5%) e o Norte outras 46 (28%). A região Centro soma 28 óbitos (17%), o Alentejo 17 (10%), o Algarve 5 (3%) e a Madeira 1 (0,5%). Nos Açores não há qualquer morte a assinalar.

Do total das 166 mortes, 91 correspondem a vítimas do sexo masculino e 75 do sexo feminino. Uma das vítimas mortais da Covid-19 registadas tem entre 30 e 39 anos (vítima do sexo feminino), mas os mais atingidos continuam a ser os idosos com 80 anos ou mais: houve mais 108 mortes nesta faixa etária (52 homens e 56 mulheres). Há ainda a assinalar uma vítima mortal do sexo masculino entre os 40 e os 49 anos, sendo que cinco homens tinham entre os 50 e os 59 anos.

Entre os 10.947 novos casos de infeção, 1.189 correspondem à faixa etária entre os 10 e os 19 anos (593 rapazes, 585 raparigas e 11 desconhecidos), 1.485 entre os 20 e os 29 anos (701 homens, 782 raparigas e 2 desconhecidos), 1.483 entre os 30 e os 39 anos (651 homens, 830 mulheres e 2 desconhecidos), 1.844 entre os 40 e os 49 anos (816 homens e  1028 mulheres). Estas faixas etárias concentram mais de metade dos casos registados no sábado, 16 de janeiro.