Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Francisca Van Dunem não tem condições para continuar a ser ministra da Justiça, depois da polémica com o caso do procurador europeu. É o pensa a maioria dos portugueses, a julgar por uma sondagem da Aximage (para JN, DN e TSF): 54% dos inquiridos defende que a ministra deve sair.

O caso polémico, que continua esta semana a ser debatido no parlamento, é do conhecimento de 69% dos portugueses inquiridos – os restantes, 31%, dizem não ter conhecimento do que se trata. A sondagem, que ouviu 1.183 pessoas (eleitores), revelou que entre os que conhecem o caso 64% defendem que o Governo deveria recuar na nomeação de José Guerra, o procurador da República que foi apresentado ao Conselho da União Europeia como procurador-geral adjunto como tendo sido titular da investigação do grande processo das fraudes da UGT com subsídios, quando apenas ali tinha representado o Ministério Público na fase de julgamento.

Só 22% defendem que o Governo deve manter a nomeação de Guerra (14% não sabem ou não responderam à pergunta), segundo a sondagem. Até entre os eleitores tendencialmente socialistas a maioria defende o recuo de António Costa na nomeação (50% contra 38%).

Porém, a sondagem revela, também, que só 45% dos inquiridos que dizem ter conhecimento do caso consideram que este é “verdadeiramente importante” e a mesma percentagem considera que este foi um caso “empolado por razões de luta política”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR