Foi mais uma audiência história do Congresso dos EUA, que pôs em xeque os líderes de três grandes empresas tecnológicas. Mark Zuckerberg, fundador e líder do Facebook, Jack Dorsey, presidente executivo e fundador do Twitter, e Sundar Pichai, presidente executivo da Google, foram questionados durante mais de cinco horas e meia sobre a desinformação online e o alegado papel indireto que podem ter tido na invasão do Capitólio, a 6 de janeiro.

Dorsey assume ter tido “responsabilidade final” na suspensão de Trump. Líderes do Facebook, Google e Twitter ouvidos no Congresso

Na audiência “Nação da desinformação: o papel dos media sociais na promoção do extremismo e da desinformação”, Zuckerberg, Dorsey e Pichai foram acusados de promover a desinformação que está a dividir os EUA (e o mundo). Dos representantes democratas aos republicanos do Comité da Energia e Comércio, que promoveu esta reunião, houve pedidos de respostas curtas — a frase “basta dizerem sim ou não” foi repetida constantemente.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.