A competitividade crescente do futsal na Europa e no Mundo ficou de novo bem patente na qualificação para o Europeu de 2022 mas Portugal chegava às últimas duas jornadas sem derrotas e a depender apenas de si para confirmar presença na décima fase final da competição (nona de forma consecutiva) para defender o título inédito conquistado em 2018 na Eslovénia após prolongamento frente à Espanha. E, na receção à Noruega, a Seleção Nacional não falhou, somando a terceira vitória em cinco jogos e confirmando por antecipação o lugar numa prova marcada para janeiro e fevereiro do próximo ano nas cidades de Amesterdão e Groningen.

Foi igual ao Europeu de futebol. Igual, igual. Mas com um Éder ainda mais herói (a crónica do Europeu de futsal)

Portugal demorou até inaugurar o marcador mas conseguiu em pouco mais de dez minutos chegar ao intervalo já a ganhar por 5-1 com golos de André Galvão (9′), Afonso (11′), Bruno Coelho (13′) e Tiago Brito (16′ e 19′). No segundo tempo, entre várias oportunidades para conseguir um resultado ainda mais volumoso, a Seleção conseguiu marcar mais dois golos no encontro disputado no Seixal, por André Coelho (24′) e Afonso (25′).

Portugal passa assim a somar 11 pontos no grupo 8 da fase de apuramento. Antes, a Seleção tinha registado uma vitória e um empate com a Polónia (2-2 em Mafra, 3-0 em Lodz) e também uma vitória e um empate diante da Rep. Checa (3-3 e 5-1 em Lodz). No fecho da qualificação, os comandados de Jorge Braz voltam a defrontar a Noruega no Pavilhão Municipal da Torre da Marinha, num encontro que servirá só para cumprir calendário.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além dos Países Baixos, estão apuradas mais nove equipas: Croácia (líder do grupo 1 ou um dos seis melhores segundos classificados), Rússia (vencedor do grupo 2), Azerbaijão (líder do grupo 3 ou um dos seis melhores segundos classificados), Bósnia (vencedor do grupo 4), Cazaquistão (vencedor do grupo 5), Espanha (vencedor do grupo 6), Itália (vencedor do grupo 7), Geórgia (segunda do grupo 2) e Portugal (vencedor do grupo 8).

Além da vitória por 3-2 após prolongamento em 2018 frente à Espanha (seleção com mais títulos europeus conseguidos, sete: 1996, 2001, 2005, 2007, 2010, 2012 e 2016), Portugal tem ainda no seu currículo uma final perdida com a Espanha em 2010 (2-4) e dois quartos lugares, em 2007 (Rússia, 2-3) e em 2014 (Espanha, 4-8). Além de Espanha e Portugal, já foram também campeões europeus a Rússia (1999) e a Itália (2003 e 2014).

Dois mestrados, sete licenciaturas e vários anos de conhecimento: a história (e o segredo) dos 14 campeões europeus