Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Milhares de espanhóis saíram às ruas para comemorar o fim do estado de emergência como se de uma conquista desportiva ou de uma passagem de ano se tratasse. “Liberdade”, gritou-se um pouco por todo o país, em especial nas grandes cidades como Madrid, onde milhares de pessoas se juntaram na Puerta del Sol, ou em Barcelona, onde as praias serviram de palco para quem queria festejar com cânticos, dança e álcool.

Os espanhóis transformaram as ruas em locais de festa improvisada na noite em que o estado de exceção terminou em quase todo o país, o distanciamento social foi escasso e as máscaras nem sempre estiveram nos rostos.

Apesar de o recolher obrigatório ter terminado à meia-noite, a proibição de beber álcool na rua mantinha-se e a polícia tentou manter a ordem, o que nem sempre foi possível, tendo em conta as centenas de imagens partilhadas nas redes sociais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo o El País, em Madrid a polícia fez 450 intervenções, em Barcelona mais de 6500 pessoas foram dispersadas de praças. Houve, ainda, 16 pessoas detidas em Palma e quatro agentes feridos numa concentração não autorizada.

Espanha é uma das nações europeias mais afetadas pelo novo coronavírus, com um registo superior a 3,6 milhões de casos e mais de 78 mil mortes. A maioria das regiões estão a desconfinar, mas as Ilhas Baleares, Ilhas Canárias, Navarra e Valência mantêm o estado de emergência.