Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Jair Bolsonaro registou um aumento de popularidade em maio, segundo a sondagem Atlas divulgada na segunda-feira por vários órgãos de comunicação social do Brasil, como a Globo: 40% dos inquiridos aprovam a atuação do Presidente brasileiro, uma subida de 5% face aos dados de abril. O número de brasileiros que desaprova o Chefe de Estado também desceu: passou de 60% em abril para 57% em maio.

Popularidade idêntica tem Lula da Silva, ex-Presidente brasileiro e que poderá ser candidato nas eleições presidenciais de 2022. O político apresenta uma taxa de aprovação mais baixa que Bolsonaro — 37% –, mas de reprovação ligeiramente mais baixa: 56%.

Se a primeira volta das eleições presidenciais brasileiras decorresse hoje, a sondagem também mostra que Jair Bolsonaro voltaria a ganhar as eleições na primeira volta com 37%, seguido de Lula da Silva com 33% — e ambos crescem nas intenções de voto. Muito longe destes dois nomes ficaria Ciro Gomes com 5,7%, que ocupa a terceira posição, seguido do juiz Sérgio Moro (que condenou Lula da Silva em 2017 a uma pena de prisão de nove anos e seis meses, decisão anulada em 2021) com 4,9%.

Brasil. Supremo Tribunal Federal confirma anulação das sentenças contra Lula da Silva

Mas os dados são bastante diferentes quando se fala numa segunda volta. Num confronto direto, Lula da Silva seria o único capaz de derrotar o atual Presidente brasileiro com 45,7% dos votos contra 41% de Bolsonaro. Contra nomes como Ciro Gomes, Haddad, Marina Silva, Sérgio Moro, Bolsonaro a sondagem mostra que Bolsonaro ficaria sempre à frente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O número de indecisos, no entanto, ainda é considerável — e poderia mesmo fazer a diferença. No confronto entre Lula da Silva e Bolsonaro, há 13,3% dos inquiridos que não sabe em quem votaria. 

A sondagem foi realizada a 3.828 pessoas entre os dias 6 e 9 de maio, possuindo uma margem de erro de dois pontos percentuais.