Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Toni Martínez inaugurou o marcador, Luis Díaz aproveitou uma transição que nasceu de uma saída da baliza de Marchesín a evitar que Gelson Dala se isolasse para aumentar a vantagem, Sérgio Oliveira entrou para marcar acabado de sair do banco. A história do Rio Ave-FC Porto poderia ter caído para qualquer um dos lados durante a primeira parte mas os dragões resolveram as contas por completo com uma entrada arrasadora no segundo tempo que esfumou a vitória do Benfica frente ao Sporting e assegurou o segundo lugar no Campeonato.

Uma rajada de golos, uma Champions e um regresso ao fim de 434 dias. Tudo numa questão de minutos (a crónica do Rio Ave-FC Porto)

Assim, e havendo ainda uma jornada por disputar, os azuis e brancos reforçaram o seu estatuto europeu na Liga dos Campeões no atual formato, assegurando o 25.º apuramento para a fase de grupos da prova apenas em 30 edições, os mesmos do Bayern e só atrás de Real Madrid e Barcelona (26). Com isso, o FC Porto já garantiu 38 milhões de euros (mais market pool dos direitos televisivos) na próxima época, 15,25 milhões pela entrada e o restante pelo ranking conseguido pelo clube nos últimos dez anos, podendo ainda ganhar mais nos seis encontros iniciais onde uma vitória rende 2,7 milhões de euros e um empate vale 900 mil euros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Desta forma, e numa altura em que o futuro de Sérgio Conceição é cada vez mais uma incógnita e a possibilidade de saída começa a ganhar forma, o técnico garante a quarta qualificação para a fase de grupos da Champions, onde chegou em duas ocasiões aos quartos de final e numa outra época aos oitavos. Mas esse está longe de ser o único registo assinalável desde que assumiu o comando dos azuis e brancos no verão de 2017.

Com os três golos apontados em Vila do Conde, o FC Porto foi a primeira equipa a chegar aos 70 no Campeonato da presente temporada e conseguiu esse feito pela quinta época consecutiva, tendo ainda igualado o Sporting na melhor diferença entre golos marcados e sofridos (41). Desde janeiro que os dragões não conseguiam duas vitórias folgadas como conseguiram após o clássico frente a Farense (5-1) e Rio Ave (3-0).

A nível de pontos, o FC Porto mantém também o objetivo de alcançar a marca dos 80, o que seria um limite mínimo desde que Sérgio Conceição assumiu a equipa azul e branca e algo que nenhum treinador ao serviço dos dragões conseguiu em quatro temporadas consecutivas. Para isso, os portistas terão de vencer na última ronda o V. Guimarães, objetivo que irá prolongar a atual série de jogos consecutivos sem derrotas no Campeonato (27).