Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vilnius, capital da Lituânia, instalou um ecrã gigante que liga as pessoas às de Lublin, na Polónia, para “aqueles que estão cansados ​​das restrições às viagens devido à pandemia de Covid-19” e que têm “o desejo de conhecer novas pessoas de países próximos e distantes”. O “Portal”, como é apelidado, já está em funcionamento e quer chegar a mais cidades europeias.

A ideia destes portais surgiu há “cinco anos”, diz a agência de turismo da Lituânia em comunicado. Como explicam os responsáveis, “o Portal assemelha-se a uma porta circular virtual e possui um grande ecrã e câmaras, graças às quais podem ser transmitidas imagens ao vivo entre as duas cidades através da Internet“.

[Abaixo, um vídeo que explica a ideia por detrás do Portal]

O primeiro Portal foi instalado a 26 de maio na praça da estação de comboios da capital da Lituânia. Já o portal polaco está na praça central de Lublin. No futuro, os responsáveis por este projeto querem instalar mais portais em outras cidades europeias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Portal é suposto servir como uma ponte visual e um acelerador da comunidade da nova onda que reúne pessoas de diferentes culturas e as encoraja a repensar o significado da unidade”, explica o turismo da Vilnius.

“A humanidade está a enfrentar muitos desafios potencialmente mortais; seja polarização social, mudança climática ou questões económicas”, diz Benediktas Gylys, presidente da Fundação Benediktas Gylys, que foi o responsável pela ideia do Portal. O objetivo, dizem os responsáveis, é também “envolver as comunidades e encorajar um movimento público a abraçar experiências sociais, reações inesperadas, bem como a unidade de diferentes culturas e seus povos a longo prazo”.

O Portal mostra em tempo real o que está do outro lado de um igual noutra cidade

“Se olharmos de perto, não é a falta de cientistas, ativistas, líderes, conhecimento ou tecnologia brilhantes que causam esses desafios [de desunião]”, adianta Gylys. Segundo o idealista deste projeto, os fatores responsáveis pela falta de união atual são “o tribalismo, a falta de empatia e uma perceção estreita do mundo, que muitas vezes se limita às nossas fronteiras nacionais”. Por isso, Gylys espera que este Portal seja um “convite” à união entre povos.

Como conta o The Verge, o design deste portal faz lembrar o da série de ficção científica Stargate, que tinha também um portal que permitia ligar dois pontos distantes para as personagens poderem rapidamente viajar. De acordo com os responsáveis do projeto, este visual é propositado: “Os engenheiros do centro de criatividade e inovação Vilnius Tech (…) escolheram um círculo, um símbolo de ficção científica conhecido e reconhecido, para a ‘ponte’ visual”. “Assemelhando-se à roda do tempo, o Portal permite que uma pessoa viaje e experimente a realidade do outro lado desta ponte“, dizem ainda os responsáveis.

O Portal foi “o resultado de um projeto internacional iniciado pela Fundação Benediktas Gylys, sediada em Vilnius, em cooperação com a cidade de Vilnius, a cidade de Lublin e o Crossroads Centre for Intercultural Creative Initiatives”. Além disso, os responsáveis planeiam ligar ainda mais o mundo, “usando dezenas de ‘Portais’ “em toda a Europa e em redor do mundo num futuro próximo”.