Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Bloco de Esquerda vai fechando a sua lista de candidatos autárquicos e já tem nome para Loures, um dos concelhos mais populosos do país. O escolhido é Fabian Figueiredo, dirigente e, temporariamente, deputado em substituição de Pedro Filipe Soares.

O bloquista já tinha sido candidato à Câmara Municipal de Loures em 2017, ano em que a corrida autárquica ficou muito marcada pela candidatura de André Ventura, então ainda pelo PSD, antes de fundar o Chega. Agora, Figueiredo assume como objetivo ser eleito como vereador, conseguindo assim o primeiro lugar para o Bloco no executivo municipal.

Em comunicado, o bloquista assume como “pilares da candidatura” as áreas da habitação, mobilidade, educação e clima, dizendo querer tornar Loures “um concelho mais justo e solidário, preparado para a transição climática, com maior mobilidade e mais ativo no combate a todas as formas de exclusão e de discriminação como oracismo estrutural ou a LGBTIfobia”.

Com o anúncio da candidatura chegam já algumas propostas específicas, como a criação de um programa de habitação municipal que sirva para “disponibilizar centenas de casas a custos controlados” e de uma rede municipal de bicicletas elétricas partilhadas, assim como a gratuitidade dos transportes, que deve começar por jovens em idade escolar até aos 18 anos e desempregados. Entre as medidas conta-se também a automatização da tarifa social da água e de resíduos, que pelas contas do Bloco reduziria a fatura da água a mais de 14 mil famílias. Várias destas prioridades são, de resto, coincidentes com as que Beatriz Gomes Dias apresenta para o concelho de Lisboa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O nome de Fabian Figueiredo, que este mês deixará de ocupar o lugar de deputado (Pedro Filipe Soares está a gozar licença de paternidade), junta-se assim aos de Joana Mortágua (Almada), Alexandra Vieira (Braga), Fabíola Cardoso (Santarém), Beatriz Gomes Dias (Lisboa), Nelson Peralta (Aveiro) e João Vasconcelos (Portimão) — todos estes são deputados e cabeças de lista a Câmaras Municipais, o que significa que um terço da bancada parlamentar do BE fará campanha autárquica.

Em Loures, o BE teve 3,55% dos votos e não elegeu nenhum vereador. Desta vez, o xadrez mudou — Bernardino Soares, presidente atual, volta a candidatar-se pela CDU mas nos boletins de voto vai aparecer também o Chega, com a candidatura de Bruno Nunes, o que pode dividir os votos no concelho. Em 2017, Ventura, ainda candidato pelo PSD, conseguiu 21,55% dos votos em Loures, numa campanha em que o discurso do candidato fez com que o CDS rompesse com a coligação da direita e apresentasse campeonato próprio. Agora, o discurso do BE, pelo menos a nível nacional, passa precisamente por apresentar-se como adversário do Chega e polarizar à esquerda para tentar crescer.

Fabian Figueiredo tem 32 anos, é licenciado em Sociologia, membro da Comissão Política e do Secretariado Nacional e coordenador da concelhia do BE em Loures.