A candidata do PS à Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, adiantou esta quinta-feira que a aposta para os próximos quatro anos passa pelo “triângulo” da habitação, mobilidade e sustentabilidade ambiental.

“O objetivo é melhorar a mobilidade, aumentar a habitação disponível e garantir a sustentabilidade ambiental”, explicou a presidente da autarquia, que se recandidata a um segundo mandato.

A socialista referiu existirem vários projetos em curso no âmbito deste “triângulo”, desde logo a construção da nova linha de metro, 155 fogos para renda acessível e a requalificação do corredor verde do rio Leça.

Contudo, sublinhou, todos estes têm como preocupação as questões climáticas.

“É uma nova forma de gerir o território muito assente na sustentabilidade e em formas de mobilidade suave, tendo como compromisso a transição digital e o desenvolvimento social, que é aquilo que nós pretendemos para o nosso território”, vincou.

A socialista, que tem agenda preenchida entre ações de rua e encontros setoriais, começou o dia às 06h30 na lota de Matosinhos e, segundo ela, a cumprir uma tradição, estando a dar “o máximo” para conseguir a maioria absoluta.

“Estamos a dar o nosso máximo nestes dias, falta uma semana e pouco e esperamos que os matosinhenses nos deem condições para continuarmos a governar e, se possível, com uma maioria absoluta”, ressalvou.

Questionada sobre quem é o seu maior adversário, Luísa Salgueiro não hesitou em responder ser a abstenção, alertando para a importância de exercer o direito de voto.

“Temos de combater a abstenção porque quanto mais pessoas votarem melhor será o nosso resultado. Esse é o nosso grande desafio”, sustentou.

Concorrem à Câmara Municipal de Matosinhos a atual presidente, Luísa Salgueiro (PS), José Pedro Rodrigues (CDU – coligação PCP/PEV), Bruno Pereira (coligação PSD/CDS-PP), Carla Silva (BE), Nuno Pires (PAN), Humberto Silva (Iniciativa Liberal), Isabel Pontes (Chega), Joaquim Jorge (independente) e António Parada (independente).

O atual executivo municipal, liderado por Luísa Salgueiro, é constituído por cinco eleitos pelo PS, dois pelo movimento “Narciso Miranda, por Matosinhos”, dois pelo movimento “António Parada, Sim!”, um do PSD e outro da CDU.

Em 2017, com 36,36% dos votos, o PS teve de entender-se com a CDU para assegurar a governação da câmara, entregando pelouros ao vereador José Pedro Rodrigues.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR