Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Contra-Corrente abre a participação aos ouvintes da Rádio Observador, das 10h10 às 11h00. Para dar a sua opinião e falar em direto com José Manuel Fernandes, basta inscrever-se ligando para o 910024185. Pode ouvir o programa em direto clicando aqui.

Esta quarta-feira queremos escutar a sua opinião sobre o centenário da “noite sangrenta”. Há 100 anos a I República vivia a sua morte moral. A “noite sangrenta” foi a de 19 para 20 de Outubro de 1921, ou seja, fez esta madrugada exatamente 100 anos. Em poucas horas uma camioneta carregada de facínoras, circulou por Lisboa à procura de políticos e líderes republicanos para os prender e depois assassinar. Na “noite sangrenta” são assassinados, entre outros, o primeiro ministro, António Granjo, e dois protagonistas da Revolução de 5 de Outubro de 1910, Machado Santos e Carlos da Maia. Foram todos mortos a sangue frio, perante a indiferença dos poderes públicos. 100 anos depois, a escola ignora a noite sangrenta?

A matança de Outubro: há cem anos a República vivia a Noite Sangrenta

Participe no Contra-Corrente ligando para o 910024185. Pode ouvir a Rádio Observador em fm, em 93.7 ou 98.7 na Grande Lisboa; em 98.4 no Grande Porto e Minho; e em 88.1 no distrito de Aveiro. O programa ficará disponível em podcast aqui.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR