762kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Uma conversa informal sobre automóveis

Um mecânico, um ecologista e uma influencer falam sobre automóveis, numa conversa de amigos em torno da mobilidade sustentável e dos novos modelos de subscrição.

i

Getty Images/iStockphoto

Getty Images/iStockphoto

Tertúlias, blogues, canais no YouTube, grupos no Facebook e páginas no Instagram formam um ecossistema mediático onde podemos encontrar uma das tribos mais animadas do mundo. Falamos dos fãs de carros e das corridas, conhecidos também como petrolheads, gearheads ou de modo mais genérico, car people. São homens e mulheres que vivem e partilham a paixão pela velocidade, o gosto pelo design automóvel e a curiosidade pelas mecânicas, sentimentos que depois traduzem nas caixas de comentários das redes sociais.

É neste contexto que encontramos um mecânico, um ecologista e uma influencer, que acompanham as tendências, a relaxar na esplanada do snack-bar “Bielas e Pistons”. Enquanto aproveitam o fim da tarde, a conversa gira à volta dos carros elétricos, do fim anunciado dos motores de combustão e, claro, de poluição e sustentabilidade.

Lucas: Vocês já viram os novos supercarros elétricos que andam a ser apresentados? Parecem foguetes com rodas!

O Lucas, ecologista e adepto da mobilidade elétrica, não esconde a satisfação ao partilhar as mais recentes novidades no mercado. Gualter, o mecânico com mais de 25 anos de experiência, abre mais uma mini e contraria:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

– Sim, são foguetes! Mas são tão silenciosos que mal se consegue ouvi-los. Às vezes já começo a sentir falta do rugido de um bom e velho V8! O que vale é os cinco cilindros que tenho na garagem! Esse nunca pára e tem cá uma banda sonora quando vai a puxar…

Lucas alerta para a poluição.

– Pois é, enquanto vais a puxar como dizes, estás a poluir o ar que respiramos com partículas microscópicas e gases nocivos que contribuem para o aquecimento global.

Madalena, a influencer, entra na conversa com um toque de humor:

– Bem, talvez dê para meter umas colunas nos carros elétricos com o som de um muscle car… uma cena do tipo “olhem para mim, sou elétrico, mas tenho um grande ronco!”.

Lucas reage:

– Olha, estás a gozar, mas há carros elétricos com várias opções de som que emitem quando circulam a baixa velocidade, até para segurança dos peões. Mas, Madalena, qual a é tua opinião sobre as tendências da moda nos carros atualmente?

Madalena: Vocês não têm noção…  bancos de pele vegan que é produzida com fibras vegetais, revestimentos em cortiça, plásticos reciclados a partir de redes de pesca recuperadas dos oceanos, detalhes em alumínio reciclado…  enfim, a maioria das marcas está a apostar nos materiais sustentáveis e ecológicos.

O Gualter levanta o sobrolho e desconfia:

– Pele vegan? O meu carro ainda tem bancos em pele a sério, a textura e o cheiro nunca enganam. Esse material novo não dura tanto, aposto…

Lucas recorda o tempo que passou ao volante, antes de se converter ao elétrico:

– Aí é que te enganas! Eu também tive carros com pele e aquilo ficava com mau aspeto, ao fim de pouco tempo, se não fosse tratado com produtos. Este material que tenho agora não dá trabalho nenhum, é só passar o pano ou o aspirador e fica impecável. Além disso, quando penso nas vaquinhas que são necessárias para forrar um carro…  Já chega de barbárie!

O mecânico não cede:

– Pois eu hei de continuar a andar nos meus carros a queimar gasóleo e gasolina, eheheh… pelo menos enquanto houver bombas para encher o depósito! Aquele ronco a subir a serra e, depois, o cheirinho destes carros é único!

Madalena defende o amigo ecologista:

– Opá, é tempo de evoluir! Não é só uma questão de ser eco consciente! É preciso olhar para os automóveis de uma forma mais utilitária e menos apaixonada…

Lucas concorda e sublinha:

– Pois, é o que penso…  vai haver sempre lugar para a paixão por um modelo especial, um clássico ou outro que podemos ter na garagem. E depois usamos veículos elétricos apenas como meio de transporte no dia a dia…

A influencer traz novidades à conversa:

– E até nem temos de os comprar. Sabiam que há cada vez mais opções para usar um carro sem ter de o comprar? O futuro é a subscrição, ou assinatura, se quiserem, tal como já fazemos com outros serviços. Os especialistas dizem que o crédito automóvel tradicional para comprar carro vai acabar.  É uma revolução de mentalidades que vai mexer com o conceito de propriedade!

Manutenção é com o Gualter:

– Ah, também já ouvi falar nisso, no custo de ownership, as despesas a acrescentar à medida que o carro envelhece. Mas então o carro nunca é nosso, como nos contratos de renting ou leasing?

A Madalena, sempre muito atualizada, explica:

– Nem um, nem outro! No modelo de subscrição usamos o carro pelo período que contratamos, pagamos um valor mensal e temos a garantia de nunca ficar a pé, seja por avaria ou acidente. Isso é o que interessa cada vez mais às pessoas!

– Os modelos de subscrição funcionam como planos de assinatura mensal e são projetados para serem tão simples e transparentes quanto possível. O leasing e o renting apresentam geralmente custos adicionais mais elevados e são dirigidos ao segmento empresarial. A subscrição tem menor duração, o que a torna mais adequada para quem precisa de um carro durante um período de tempo limitado.

A influencer não tem dúvidas:

– Esta é uma tendência especialmente vincada nos condutores mais jovens. Ainda há dias vi um estudo, numa revista, a dizer que seis em cada 10 jovens preferem a subscrição em vez da propriedade tradicional do carro.

O Lucas comprou um carro elétrico online e está a par destas novas soluções de financiamento:

– É mesmo! E compram-se online, nem sequer há stands… vais ao site, configuras, tratas do financiamento e já está! Depois entregam pessoalmente em casa!

Gualter, o mecânico gosta de ver sites de compra e venda de carros:

– Já tenho visto isso, sim, quando há tempo vou ver anúncios na net. Ainda há dias descobri o site Pisca Green, aquilo é só carros elétricos e híbridos! E também dá para comprar logo…

O amigo ecologista acompanha as novidades:

– Sim, faz parte do PiscaPisca.pt, mas no Pisca Green encontras muita informação e dicas para esclarecer todas as dúvidas sobre a mobilidade elétrica, além de uma grande seleção de modelos à venda em Portugal.

– Os avanços da engenharia e das tecnologias digitais são alucinantes. Mas não se trata apenas de potência e velocidade. A fiabilidade e a facilidade de condução ainda são a essência de um grande carro.

Madalena e Lucas estão em sintonia:

– É fantástico ver os avanços na tecnologia de baterias, o stress da autonomia é cada vez menos preocupante nos veículos elétricos.

– É emocionante ver a evolução dos carros e o caminho que estão a seguir… Quer dizer, quem imaginaria há uns anos que íamos ver carros como os Rimac ou os Lucid a circular na estrada…

O mecânico levanta-se e propõe um brinde, antes da “abaladiça”.

– Mas, meus amigos, os clássicos vão ter sempre um lugar especial na nossa vida. Eles têm uma alma que nenhum carro moderno pode replicar.

Numa coisa estão todos de acordo. O progresso dos automóveis vai continuar a seguir um rumo cada vez mais sustentável, tecnologicamente avançado e também mais inclusivo. É um novo mundo de possibilidades.

Vote no jornalismo independente.

Assine o Observador com 45% de desconto.

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver oferta

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.