Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No dia a seguir ao Liverpool conquistar o seu primeiro título de campeão inglês em 30 anos houve um vídeo de animação que começou a circular na net, em relação ao qual era impossível não nos comovermos: víamos um homem a ir ao estádio acompanhado pelo filho, homem e filho iam mudando de aparência à medida que os tempos passavam e as derrotas se acumulavam, a dada altura ficava só o filho adulto, surgia também uma mulher grávida, agora o filho feito homem e o seu garoto, o homem envelhecia, o garoto crescia – até que chegou o grande dia.

O grande dia foi a passada quinta-feira, quando a derrota do Manchester City em casa do Chelsea devolveu a Anfield Road o troféu pelo qual mais ansiavam há três décadas. Lembro-me da equipa dessa época, com Grobbelaar na baliza, John Barnes e Steve McMahon no meio-campo e Beardsley e Ian Rush na frente. E lembro-me de que odiava aquela equipa (apesar de Ian Rush).

Odiava-os desde 29 maio de 1985 – tinha 10 anos, era dia de Taça dos Campeões Europeus (a antiga Champions) e passei a tarde, como sempre, a jogar à bola com os amigos e vizinhos. Recordo que usava uma t-shirt meia grená que, na minha cabeça, fazia de mim Enzo Scifo no Anderlecht – já então eu adorava um bom médio sub-valorizado.

O tempo passou – tanto que quando me apercebi de que horas eram entrei em pânico. Nunca tinha perdido o início de uma Taça dos Campeões e agora ia chegar atrasado. Corri para casa e – ufa – suspirei de alívio ao perceber que a partida ainda não começara. Talvez seja o momento indicado para notar que sou míope desde catraio: quando aproximei o olhar da TV vi o horror: centenas, milhares de adeptos da Juve entalados contra uma espécie de barras de metal ou cimento que havia nas bancadas, gente caída no chão por todos os lados.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.