A maioria absoluta do PS pode ter deixado a esquerda de costas voltadas, mas já há quem projete novos entendimentos — de olhos postos no futuro. Numa altura em que várias figuras à esquerda se acabam de unir para criar uma espécie de think tank desta área política — a Associação Causa Pública, liderada por Paulo Pedroso — surge a ideia de uma possível candidatura presidencial que reúna apoios alargados e de vários partidos. E já há um nome que circula pelos corredores da esquerda: o da socialista Alexandra Leitão.

Em entrevista ao Observador, que será publicada na íntegra esta sexta-feira, confrontada com a hipótese, a ex-ministra não excluiu o cenário, admitindo o seu “interesse” em entendimentos à esquerda. “A primeira coisa que me vem à cabeça, mas que sei que é falsa, é que sou muito nova para isso — mas sei que é falsa, infelizmente, porque já não sou assim tão nova”, começou por dizer Alexandra Leitão, antes de rematar: “Tenho muito interesse em todas as situações que possam implicar um entendimento alargado à esquerda”.

A socialista não assumiu um interesse específico no cargo, mas antes em “personificar, ou aparecer, em que lugar seja, em que cargo seja, no meio de uma lista (nem que seja abaixo na lista) de um entendimento desse género”. Desafiada a falar concretamente sobre a hipótese de entrar na corrida às presidenciais, Alexandra Leitão não esconde que seria desafio “um bocadinho diferente” para a fase da vida em que se encontra, embora não o rejeite taxativamente: “Qualquer coisa que fosse protagonizar, se quisermos dizer esta palavra um bocado exagerada, um entendimento desse tipo para mim é uma coisa interessante“.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.