819kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

i

Luis Ferraz

Luis Ferraz

Viver na aura dourada do Douro

Numa das mais antigas quintas de recreio da cidade do Porto está a nascer o empreendimento de luxo Aurios: um condomínio fechado em comunhão com a paisagem do Douro.

A paisagem é inconfundível. Os socalcos sucedem-se em direção ao rio Douro – um nome que já fala sobre a beleza do local. É em exaltação deste cenário que está a nascer um novo condomínio fechado de luxo pela Emerge, uma marca da Mota-Engil. Aurios junta moradias e apartamentos de janelas rasgadas para o rio, na Quinta da China. As casas organizam-se em cascata em direção ao Douro, tal como as vinhas se cultivam em socalcos.

  • Luís Ferraz
  • Luis Ferraz
  • Luís Ferraz

Douro dourado

A Quinta da China é uma das mais antigas quintas de recreio da nobreza da cidade do Porto. A sua beleza natural foi sempre reconhecida e é a grande inspiração por trás de Aurios. Ao longo do dia, a luz do sol que bate no rio vai variando os seus reflexos dourados e compreendem-se melhor aqueles que acharam que este sítio é d’ouro. O nome Aurios é uma referência a esta aura tranquila e exuberante, além de conter a ligação ao símbolo químico do ouro, Au. Há ainda uma terceira camada escondida neste nome cheio de identidade: Aurélia de Sousa, a artista portuense que passou a sua infância na Quinta da China. Aurélia chegou aqui com cerca de três anos, quando o seu nome de batismo já anunciava qualquer coisa de áureo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

  • Luís Ferraz
  • Luis Ferraz
  • Luis Ferraz

Casas viradas para a natureza

Aurios compõe-se de 26 moradias (T3 ou T4) e 22 apartamentos (do T3+1 ao T5) em construção e que se preveem finalizados em agosto de 2025. O andar modelo está pronto e os preços começam nos 1.735.000€ para apartamentos e nos 1.875.000 para moradias. Nos 20 mil metros quadrados deste empreendimento, os espaços comuns – como o campo de padel, a piscina infinita ou as áreas verdes –querem criar um verdadeiro refúgio natural em ambiente cosmopolita: Aurios está, afinal, a escassos cinco minutos de carro do centro histórico do Porto ou de Campanhã.

As janelas amplas, varandas largas ou jardins para o Douro em todas as frações reforçam a ligação à natureza em total privacidade, já que as moradias e o bloco de apartamentos foram dispostos em quatro cotas que recriam a imagem dos socalcos, mantendo a ligação à tradicional topografia da região. As coberturas ajardinadas das frações ajudam igualmente a esbater qualquer sinal de construção: a cada ida à janela, com a margem de Gaia em frente e o rio ao fundo, a sensação é de que se faz parte desta paisagem.

  • Luís Ferraz
  • Luís Ferraz
  • Luís Ferraz

Sustentabilidade para o futuro

Todo o projeto de arquitetura e construção de Aurios teve como premissa a sustentabilidade ambiental e obteve a certificação Lider A+. Alguns dos materiais de construção são reciclados e apostou-se em madeiras de florestas sustentáveis e em materiais naturais como a cortiça. As soluções de arquitetura valorizam a eficiência energética de cada fração recorrendo a sombreamentos ou vidros duplos de performance elevada, por exemplo. Mas Aurios prepara uma vida mais sustentável também no futuro. Cada moradia tem painéis solares térmicos para o aquecimento de águas e painéis fotovoltaicos para a geração de energia limpa; no bloco de apartamentos, as áreas comuns serão alimentadas a energia solar nas próximas décadas. Somando a isto as várias espécies autóctones e silvestres da região do Douro que foram aqui plantadas, Aurios é a vista para um Douro com futuro.

  • Luís Ferraz
  • Luís Ferraz
  • Luís Ferraz
 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos