Uma publicação do Facebook, com data de 18 de fevereiro de 2021 e que tem sido largamente partilhada desde então, exibe o que, à primeira vista, será uma espetacular maravilha da natureza: uma flor em forma de mulher, que floresce apenas a cada duas décadas. “Esta é uma flor em forma de mulher, que floresce apenas uma vez em 20 anos. Esta flor é vista em Kerala, na aldeia de Pacalakkadu”, lê-se no post, devidamente ilustrado com três imagens da improvável flor.

E improvável acaba mesmo por ser a palavra-chave. Se é verdade que a natureza é capaz de oferecer maravilhas surpreendentes, esta flor moldada na forma de uma mulher é demasiado perfeita para ser verdade.

Esta suposta maravilha da natureza dá pelo nome de flor de Narilatha, que, traduzida para hindi, significa flor em forma de mulher. É também chamada de Liyathabara Mala em cingalês, uma das duas línguas oficiais do Sri Lanka. A árvore das flores em forma de mulher também pode, supostamente, ser encontrada na Tailândia, onde é chamada de Nareepol.

Na versão da história que circula por esta altura nas redes sociais, a flor Narilatha é proveniente do estado de Kerala, situado no sudoeste do subcontinente indiano, mais exatamente na aldeia de Pacalakkadu. Ora, uma rápida pesquisa online permite chegar à conclusão de que tal aldeia não existe e que, provavelmente, se trata de uma confusão com Palakkad, uma cidade do estado de Kerala com 130 mil habitantes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quanto à existência da planta em si, trata-se de um logro que circula na internet desde pelo menos abril de 2008, ainda as redes sociais como hoje as conhecemos estavam na infância. O que não foi mais do que uma clássica história de primeiro de abril, Dia das Mentiras, ganhou vida própria e foi sendo republicada nos últimos anos, curiosamente sempre ilustrada com as mesmas três fotos.

O site Hoax Slayer, que se dedica à desconstrução deste tipo de histórias na internet desde 2003, já dera conta da fraude da flor em forma de mulher precisamente no dia 1 de abril de 2008. No caso, falava da sua versão tailandesa. “Se um fenómeno tão surpreendente fosse real, a árvore seria, sem dúvida, bastante famosa e haveria relatos nos media por todo o mundo. A comunidade científica, nomeadamente os botânicos, e grupos religiosos também já teriam examinado a árvore e publicado as suas descobertas. Em vez disso, a única informação sobre a suposta árvore Nareepol encontra-se apenas nas várias versões da publicação.”

A história da árvore Narilatha/Narepool parece também estar ligada à Nariphon, uma árvore da mitologia budista que dá frutos em forma de jovens mulheres, presas aos ramos pela cabeça. A dita árvore cresce em Himaphan, uma floresta mitológica onde os frutos em forma de mulher são apreciados pelos gandharvas, seres celestiais das mitologias budista e hindu. Ou seja, estamos apenas perante um aproveitamento contemporâneo de uma história fantástica das mitologias orientais. E, não, as mulheres não crescem em árvores.

Conclusão:

Falso. A publicação no Facebook que dá conta da existência de árvores que, na Índia, Sri Lanka ou Tailândia, conforme a versão, não passa de um logro que terá começado em 2008 como uma brincadeira de primeiro de abril. A história foi, desde então, reciclada nas redes sociais, sempre ilustrada com as mesmas três fotografias, e parece inspirada na Nariphon, uma árvore das mitologias budista e hindu que dá frutos em forma de jovens mulheres, presas aos ramos pela cabeça.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge