Diana Soller

Colunista

Artigos publicados

China

Nacionalismo à Pequim /premium

Há dois elementos comuns a todos os nacionalismos. São a dignidade da nação e o facto de a dignidade da nação se medir em termos comparativos com outras nações – o grau de prestígio internacional.
Presidente Trump

Crónica de um impeachment anunciado /premium

A banalização, pelo menos retórica, do impeachment leva a que só o tempo (e a prova que o presidente é um criminoso político) lhe volte a trazer a importância que nunca devia ter perdido.
Canadá

Politicamente Correto 2.0 /premium

103
Há muito que Justin Trudeau é uma espécie de herói do politicamente correto. Mas agora elevou este fenómeno a um outro patamar: acrescentou-lhe retroativos, tudo tão despropositado que se autodenuncia
Brexit

A “outra” democracia /premium

Tem-se dito muitas vezes que o Reino Unido está a pagar o preço por não ter uma constituição. Há motivos mais profundos: a tensão entre dois regimes com nomes parecidos mas intenções muito diferentes
Brexit

O Triunfo da Fantasia /premium

151
Com a escolha de Boris Johnson para primeiro-ministro, tivemos um exemplo bem claro de que o espírito da velha Inglaterra está bem vivo e veio para ficar. Sob forma de ilusão.
Estados Unidos da América

Vamos falar de política? /premium

Fazer dos Estados Unidos um campo de batalha entre conservadores nativitas e progressistas radicais é provavelmente uma das piores ideias que alguém já teve. Mas é exatamente o que está a acontecer.
Mundo

A política da saudade /premium

Os sentimentos coletivos ganharam um lugar no pódio político e é uma condição cada vez mais essencial para ganhar eleições saber manipular esses sentimentos a favor de determinada candidatura.
Relações Internacionais

Ordem internacional soberanista /premium

O liberalismo político sempre conviveu harmoniosamente com a soberania quando não a tentou transformar. E este tem de ser o princípio orientador das nossas políticas internacionais.
China

Portugal não está à venda. Ou está? /premium

500
O comportamento interno e externo chinês não parece incomodar toda a gente. Caso contrário, para que estaria o governo português a emitir títulos da dívida em yuans?
União Europeia

Uma segunda oportunidade /premium

O novo Parlamento Europeu mostra que a população nem quer mais hegemonias dos partidos tradicionais, nem agendas desproporcionalmente nacionalistas. Quer uma Europa renovada e geradora de consensos
Eleições Europeias

A Europa precisa dos Europeus /premium

Passamos cinco anos zangados com a Europa porque ela é distante dos cidadãos, mas no dia em que podemos fazer alguma coisa para mudar isso, ficamos comodamente em casa. Desta vez com riscos acrescidos
Mundo

Este mundo não é para liberais  /premium

Voltámos a um mundo de competição entre grandes potências, sem que se tenham sentado a negociar um novo sistema normativo, mas como resultado da convergência à procura da maior preponderância.
Estados Unidos da América

Mas afinal quem manda no mundo? /premium

Washington passou por um dos mais embaraçosos momentos da sua história recente: parece ter deixado de ter poder suficiente para organizar aquela que é, há dois séculos, a sua zona de influência.
União Europeia

O Charme Discreto de Mark e Annegret  /premium

O PM holandês Mark Rutte e a líder da CDU alemã Annegret Kramp-Karrenbauer perceberam algo muito importante: a União Europeia é mais do que uma aliança de estados, mas também é uma aliança de estados.
NATO

A velhinha NATO /premium

Mas não faz sentido ignorar que, aos 70 anos, a NATO, que nos garante silenciosamente a segurança e que sobreviveu ao seu próprio sucesso na Guerra Fria, nunca passou um período tão difícil.
Brexit

Cansaço democrático /premium

O processo do Brexit tornou-se tão complexo, com divisões políticas e sociais irreconciliáveis, que a única saída pode ser mesmo começar de novo. Aí o recomeço teria de passar por um segundo referendo
União Europeia

Extremismos não se combatem com utopias /premium

135
Mais tarde ou mais cedo, iríamos pagar o preço por nos convencermos que a Europa pode tudo (mesmo o que não é exequível) e que os cidadãos europeus deixaram de pensar politicamente.
Mundo

O poder mobilizador da rejeição /premium

Um discurso negativo, de rejeição de alguma coisa, independentemente de ser factual ou inventado, tem muito mais impacto junto das populações que um discurso positivo, construtivo ou inclusivo.
Presidente Trump

O Estado da (des)União norte-americana /premium

O discurso do Estado da União mostrou um Trump novo? Não. Mostrou um presidente capaz de fazer um discurso de união nacional mesmo com intenções de vitimização e que quer alargar a sua base eleitoral.
Venezuela

A Venezuela e a timidez europeia /premium

É um risco a Europa ter uma posição mais assertiva relativamente à Venezuela? É. Mas é mais arriscado ainda ter uma posição demasiado tímida, que não convence ninguém.
A página está a demorar muito tempo.