A grande questão com que se debate a Educação nos dias de hoje é saber se estamos a educar e a formar as nossas crianças e os nossos adolescentes tendo em conta o que os aguarda num futuro mais próximo ou mais longínquo.

Sabemos pouco sobre o futuro. Mas sabemos o suficiente para perceber que os jovens de hoje ou dispõem de uma sólida formação de base ou dificilmente terão condições para singrar num mundo cada vez mais complexo, mais competitivo e mais exigente em relação ao papel que cada um pode desempenhar, como cidadão e como profissional, seja qual for a sua área de intervenção e o seu setor de atividade.

É portanto sobre a formação de base que devem incidir as nossas preocupações.

E o que é uma sólida formação de base? Onde se adquirem os instrumentos, as capacidades, os conhecimentos e os valores necessários para encarar a vida numa sociedade tecnologicamente avançada e em que cada um dependerá cada vez mais de si próprio e não daquilo que possui ou que vai herdar?

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.