Família Real Britânica

Segurança revista na escola do príncipe George após detenção de mulher

Uma mulher de 40 anos foi detida depois de entrar, sem autorização, na escola frequentada pelo príncipe George. Polícia está a rever as normas de segurança.

O príncipe George frequenta a escola Thomas’s Battersea há sensivelmente uma semana.

Jack Taylor/Getty Images

A polícia metropolitana de Londres está a rever as normas de segurança no colégio privado do príncipe George, depois de uma mulher de 40 anos ter sido detida por suspeita de roubo. O incidente aconteceu na terça-feira, mas a mulher, que teve acesso às instalações escolares, só ficou sob custódia na quarta.

É pouco provável que o pequeno George estivesse no interior da escola aquando do sucedido, mas todo o cuidado é pouco. Afinal, o príncipe de apenas quatro anos é, depois do avô e do pai, o herdeiro ao trono britânico.

A polícia, citada pelo jornal The Guardian, disse estar a trabalhar com a escola, frequentada por “sua alteza real, o príncipe George”, de modo a rever a segurança do estabelecimento. “A polícia foi alertada e os agentes atenderam imediatamente à situação.”

Fotogaleria. O primeiro dia de aulas do príncipe George

George começou a frequentar a Thomas’s Battersea no passado dia 7 de setembro, naquele foi o seu primeiro dia de aulas. O príncipe foi fotografado a chegar à escola, que custa cerca de 19 mil euros por ano, na companhia do pai.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Família Real Britânica

Lady Di: nem princesa, nem do povo

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
1.319

As ascendências da mãe de Isabel II e de Diana são, em termos nobiliárquicos, equivalentes, com vantagem para a Lady Di, que era menos ‘plebeia’ do que a mãe da actual rainha.

Identidade de Género

Totalitarismo

Paulo Tunhas

Age-se como se cada um fosse como um camaleão, pronto a se metamorfosear naquilo a que aspira. Podemos descer na escala dos seres até aos animais ou tornarmo-nos divinos, de acordo com a nossa vontade

Banca

O BES e o novo modelo de supervisão

Helena Garrido

Os casos BES e Banif não teriam acontecido se já tivéssemos o novo modelo de supervisão bancária em discussão pública? As arquitecturas de governação não mudam as pessoas nem alteram os incentivos.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site