Explicador

O que está em causa na Autoeuropa. Conflito laboral ou guerra sindical?

Agosto 201730 Agosto 2017581
Ana Suspiro

Qual foi o impacto e resultado da greve?

Pergunta 13 de 13

Como é comum nas paralisações, os números e impactos divergem consoante a fonte. Neste caso, as diferenças podem ser ilusórias. Logo de manhã, Eduardo Florindo, do Sitesul, falava numa forte adesão. “Há centenas de trabalhadores em greve que estão concentrados aqui à entrada da empresa”, dizia, acrescentando que todas as secções da empresa estavam paralisadas.

Ao final da tarde, um comunicado da Autoeuropa dizia que 41% dos mais de três mil colaboradores tinham aderido à greve. A empresa admitia “o impacto negativo da paralisação”. A produção terá mesmo parado, porque basta uma ou duas equipas falharem para uma linha de montagem parar. A unidade fabrica cerca de 400 automóveis por dia, mas a empresa espera recuperar nos próximos dias a produção que se perdeu.

Para lá do impacto da primeira greve histórica, saiu a notícia de que a administração da Autoeuropa irá receber os sindicatos no dia 7 de setembro. Em comunicado, a empresa sublinha que é “essencial dar continuidade ao diálogo com uma comissão de trabalhadores eleita — as eleições estão marcadas para 3 de outubro — à semelhança das boas práticas laborais da Volkswagen Autoeuropa e do grupo”.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site