Hosni Mubarak, ex-Presidente do Egito, foi na manhã desta quarta-feira condenado a três anos de prisão efetiva por desfalque de dinheiros públicos. Mubarak foi ainda condenado ao pagamento de 125 milhões de libras egípcias (perto de 13 milhões de euros).

Também os filhos de Mubarak, Alaa e Gamal, foram condenados a penas de prisão – quatro anos cada um. Os desfalques terão permitido a Mubarak e à família fazer obras nos palácios presidenciais.

Hosni Mubarak, que atualmente tem 86 anos, demitiu-se do cargo de Presidente em fevereiro de 2011 após 30 anos de poder, na sequência de violentas manifestações que ocorreram por todo o país.

Está neste momento a decorrer a repetição do julgamento em que é acusado de abuso de poder e de cumplicidade na morte dos manifestantes da Praça Tahrir, no Cairo. Mubarak foi condenado a prisão perpétua no primeiro julgamento, em 2012, mas após um recurso, em janeiro de 2013, o tribunal ordenou a repetição de todo o processo.