António José Seguro, defendeu esta quarta-feira que as empresas que fornecem bens e serviços ao Estado só devem entregar o valor do IVA quando o Estado lhes pagar aquilo que deve.

“Parece-me da mais elementar justiça”, referiu António José Seguro, em Barcelos, no final de uma visita a uma fábrica têxtil.

Esta será uma das duas propostas sobre o IVA que o PS vai apresentar em breve na Assembleia da República para ajudar as empresas cumpridoras. A segunda proposta diz respeito às empresas que compram mas não pagam aos seus fornecedores, mas a quem o Estado permite que façam a dedução do IVA.

“Vamos propor que empresas incumpridoras só possam fazer dedução do IVA quando cumprem, quando pagam. Isso significa mais um contributo para elas rapidamente pagarem o que devem às empresas que lhes venderam bens ou serviços”, referiu Seguro.

Para o líder do PS, estas propostas, “para além de fazerem justiça, apoiam claramente empresas que produzem e vendem e que muitas das vezes estão com dificuldades porque são cumpridoras mas depois não têm da parte do Estado ou dos seus clientes o mesmo princípio de cumprimento”.

“Não tem sentido que o Estado beneficie os infratores. O que tem sentido é que o Estado apoie as empresas que cumprem”, acrescentou.