É uma das modelos britânicas mais cobiçadas na esfera da moda. Sobrancelhas carregadas e madeixas de um loiro escuro, elegância indiscutível. Aos 21 anos, Cara Delevingne já desfilou para marcas de renome internacional, apareceu em inúmeras capas de revistas e foi escolhida para ser a cara da DKNY, Yves Saint Laurent, La Perla e Fendi. O sucesso concedeu-lhe mais de 5 milhões de seguidores do Instagram e uma carreira cinematográfica que, a passos largos, começa a ganhar revelo. A lista já vai longa, mas Cara também é conhecida por… adormecer. Foi o que fez, por duas vezes, numa entrevista à Vogue norte-americana. E assim nasce uma nova polémica.

PARIS, FRANCE - FEBRUARY 27:  (Editors Note: This image was processed using digital filters) Model Cara Delevingne poses backstage before the H&M Fall/Winter 2013 Ready-to-Wear show as part of Paris Fashion Week on February 27, 2013 in Paris, France.  (Photo by Gareth Cattermole/Getty Images)

Gareth Cattermole / Getty Images

O jornalista Plum Sykes, que a entrevistou, não poupou na descrição dos eventos: “Caro leitor, parafraseando Oscar Wilde, posso dizer que adormecer uma vez numa entrevista da Vogue pode ser considerado um infortúnio, mas que adormecer duas vezes parece descuido?”.

O que aconteceu ao certo? A modelo terá, em primeiro lugar, chegado atrasada ao encontro com o jornalista, num spa. Após requisitar uma massagem, adormeceu e deixou Sykes à espera. Se ao início o próprio aceitou a desculpas de Cara, motivadas pelo excesso de trabalho e constante jet lag, depressa evidenciou que tanto o atraso como o sono acumulado eram resultado de uma saída à noite no dia anterior. Para corroborar a teoria da “bela adormecida”, Sykes citou ainda o fotógrafo Tim Walker, que já trabalhou com a modelo por diversas vezes: “Em todas as sessões que fiz com ela, ela adormeceu… Ela dormiu durante sete horas numa sessão fotográfica da Mulberry”.

Em resposta às acusações feitas por quem lhe entrevistou, Cara socorreu-se do Twitter para se manifestar. Não foi um tweet, mas vários, partilhados algumas centenas de vezes pelos seus seguidores.

Parafraseando: para Cara, as pessoas na indústria da moda são desonestas, preferem ver a companhia alheia falhar e não se apoiam umas às outras. “Isto mostra que a moda não é das indústrias mais compreensivas”, diz, desculpando-se por ser “demasiado ambiciosa”.

Ainda assim, a entrevista publicada destaca a personalidade e o carisma da britânica, bem como o estilo que é imitado por legiões de fãs. “O seu estilo pessoal – e a personalidade – é uma grande parte do apelo de Cara (…) Ela consegue ter o glamour de uma passadeira vermelha, com as suas inúmeras tatuagens a espreitar por fora de um vestido de noite”, acrescenta Sykes.

<> on May 15, 2013 in Cannes, France.

Gareth Cattermole/Getty Images