Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já foram 19.507 as pessoas que assinaram uma petição online para pedir às autoridades japonesas que libertem a “artista da vagina” Megumi Igarashi, que foi detida no sábado passado acusada de difundir conteúdos obscenos, por alegadamente ter enviado por e-mail dados que permitiam a impressão de um modelo da sua vagina em 3D.

Às 11h25 desta quinta-feira, faltavam apenas 5.493 assinaturas na página da petição para atingir o objetivo dos seus proponentes: 25 mil assinaturas. O abaixo-assinado está alojado no site change.org, “a plataforma mundial para a mudança”, como o próprio anuncia – e onde se encontram petições para a colocação de uma grade anti-suicídio na ponte Golden Gate, em São Francisco; para a transferência do último urso polar da Argentina para o Canadá e para a criação de um monumento em memória dos trabalhadores mortos durante a construção dos estádios usados no Mundial, entre outras.

“Não creio que isto seja obsceno”, terá dito Igarashi no momento da detenção. A artista tem 42 anos, intitula-se “artista da vagina” e diz que o objetivo da sua arte é quebrar tabus sobre a genitália feminina na sociedade japonesa, tipicamente conservadora. Caso seja considerada culpada, Igarashi pode enfrentar uma pena de até dois anos de prisão ou uma multa de 2,5 milhões de ienes (cerca de 18 mil euros).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR