Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As contas dos familiares diretos dos antigos administradores do Banco Espírito Santo, congeladas pelo Banco de Portugal no início do mês, no “banco mau”, começaram a ser descongeladas. No entanto, de acordo com o Expresso Diário, alguns familiares afetados apresentaram requerimentos para a disponibilização do saldo.

Apesar de algumas contas terem sido descongeladas, por ordem do Banco de Portugal os familiares não vão poder ter acesso ao dinheiro, que se vai manter cativo, podendo apenas movimentar as contas.

A medida dura enquanto o supervisor avalia se as contas têm dinheiro não justificado ou se houve benefício com as irregularidades na gestão do banco. O objetivo principal é verificar se os familiares de primeiro grau guardaram nas suas contas dinheiro dos antigos administradores, numa tentativa de contornar o sistema.

A decisão de bloquear as contas dos familiares em primeiro grau é possível graças à nova legislação europeia sobre intervenções nos bancos em dificuldades.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR