De acordo com o boletim mensal de agosto do Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP), as famílias investiram 305 milhões de euros em certificados de aforro em agosto, levantaram 55 milhões de euros, investiram 306 milhões de euros em certificados do tesouro e levantaram apenas um milhão. Ao todo, no final de agosto, os cofres do Estado tinham 11.369 milhões de euros relativos a certificados de aforro e mais 3.780 milhões de euros em certificados do tesouro, totalizando os 15.149 milhões de euros.

Face a julho, isto representa um aumento de 553 milhões de euros nestes dois instrumentos de poupança, criados para captar o investimento das famílias. Já comparando com os valores registados no final de 2013, verifica-se que nos primeiros oito meses do ano o montante investido em certificados de aforro e em certificados do tesouro aumentou em 2.991 milhões de euros.

O Governo tem vindo a tentar captar a poupança das famílias para a dívida pública. Depois de, em agosto de 2012, ter alterado as condições de remuneração dos certificados de aforro, no final de outubro de 2013 lançou os Certificados do Tesouro Poupança Mais, cujas subscrições têm feito aumentar o saldo dos certificados do tesouro.