Caso José Sócrates

Pinto Monteiro e o almoço com José Sócrates: “Foi inocente”

820

Fernando Pinto Monteiro disse que o almoço que teve com José Sócrates, a 18 de novembro, foi "uma coincidência complicada". E o ex-procurador-geral da República suspeitou da existência de escutas.

Fernando Pinto Monteiro foi Procurador-Geral da República entre 2006 e 2012

André Kosters/LUSA

Um almoço “inocente” e que viria a constituir uma “coincidência complicada”. Foi assim que Fernando Pinto Monteiro, antigo procurador-geral da República, em entrevista à RTP, classificou esta segunda-feira, o encontro com José Sócrates, ex-primeiro ministro, ocorrido a 18 de novembro, três dias antes de Sócrates ser detido para interrogatório no aeroporto de Portela, em Lisboa, acusado de crimes de branqueamento de capitais, evasão fiscal e corrupção. “Aconteça o que acontecer, nunca o Engenheiro José Sócrates me perguntou nada sobre justiça”, sublinhou Pinto Monteiro.

O almoço realizou-se no Hotel Avis, em Lisboa, um dia depois de Pinto Monteiro receber “um telefonema do secretário” do antigo primeiro-ministro. “Fiquei surpreendido porque nunca tinha almoçado com José Sócrates”, confessou o ex-PGR, que exerceu o cargo entre 2006 e 2012. O encontro foi noticiado pelo Semanário Sol e Pinto Monteiro suspeitou da existência de escutas. “Não tenho nada contra as escutas ou deixo de ter. Mas não percebo como são fornecidas a um jornal”, disse.

Pinto Monteiro apontou que não terá sido o hotel a informar a comunicação social, já que, defendeu, o almoço foi “erradamente” descrito. “Dizem que o José Sócrates esperou dez minutos por mim. Mas não, esperou mais de uma hora”, sublinhou.

O antigo PGR admitiu que ficou “surpreendido” com o convite de José Sócrates, antes de garantir que “foi um almoço” no qual ambos falaram “de livros e das viagens” do ex-líder do Partido Socialista. “Durou uma hora e pouco. Eu almoço com quem quero. Simpatizo com José Sócrates, como tenho com outras pessoas. Não nego as simpatias que tenho”, explicou Pinto Monteiro.

Pinto Monteiro assegurou que entre 2006 e 2012, período em que assumiu o cargo de PGR, “nunca” almoçou “a sós” com José Sócrates, que era na altura o primeiro-ministro em funções. Durante esses seis anos, aliás, defendeu que apenas recebeu “um telefonema” do hoje constituído arguido pelo Ministério Público: “Foi para me desejar um Bom Natal.” Sobre a “Operação Marquês” e o caso que decorre com o antigo primeiro-ministro, Pinto Monteiro disse que “está a haver um aproveitamento político num caso jurídico”, reforçando o que diz ser “uma promiscuidade entre política e justiça”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)