Ciência

Alzheimer e esquizofrenia vêm da mesma parte do cérebro?

153

Um estudo da Universidade de Oxford mostrou que as mesmas regiões do cérebro poderão ser responsáveis pelo desenvolvimento por duas doenças distintas: o Alzheimer e a Esquizofrenia.

O estudo examinou os cérebros de 484 pessoas saudáveis e comparou os resultados com pacientes das duas doenças

SEBASTIEN BOZON/AFP/Getty Images

Autor
  • Diogo Pombo

Esquizofrenia e Alzheimer. A primeira é uma doença mental, a forma mais comum de demência. A outra é uma psicopatologia com caráter degenerativo. E, ao que parece, a mesma parte do cérebro poderá ser responsável pelo desenvolvimento de ambas as doenças — e que, por norma, é a primeira a mostrar sinais neurodegenerativos, afirma um estudo elaborado pelo Centro Funcional de Imagem por Ressonância Magnética (MRC) da Universidade de Oxford, em Inglaterra.

O estudo, publicado esta terça-feira no Proceedings of the National Academy (PNAS), um jornal científico norte-americano, aponta que a região em questão está na massa cinzenta do cérebro, sendo “rica em ligações entre células nervosas”, escreveu o site Medical News Today.

Esta parte do cérebro, aliás, apenas se desenvolve na fase tardia da adolescência ou no início da idade adulta, estando ligada à capacidade intelectual e à memória a longo prazo: aptidões que são afetadas pela esquizofrenia e o Alzheimer. E como descobriram isto os investigadores? Realizando ressonâncias magnéticas aos cérebros de 484 pessoas saudáveis, entre os oito e os 85 anos.

Os resultados, lá está, mostraram que, na maioria das pessoas, a última região do cérebro a desenvolver-se era também a primeira a aparentar sinais de declínio com a idade. Depois, quando os investigadores compararam estes resultados aos de ressonâncias magnéticas efetuadas em pacientes de esquizofrenia ou Alzheimer, descobriram que o mesmo acontecia.

E, sobretudo, na mesma região do cérebro. “Os nossos resultados mostram que algumas partes específicas do cérebro não só se desenvolvem mais lentamente, como também se degeneram mais rápido. E são estas que parecem estar mais vulneráveis do que o restante cérebro à esquizofrenia e ao Alzheimer”, explicou Gwenaëlle Douaud, investigador que coordenou o estudo, apesar de ressalvar que “as duas doenças terem origens distintas e surgirem em alturas da vida quase opostas”.

Estes resultados poderão abrir o caminho para que estudos posteriores testem a possibilidade de diagnosticar mais cedo estas duas doenças. “Antigamente, os médicos chamavam ‘demência prematura’ à Esquizofrenia e agora temos uma evidência clara de que as mesmas partes do cérebro podem estar associadas a doenças diferentes”, disse Hugh Perry, um dos investigadores do MRC, à BBC.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições no Brasil

O solipsismo colectivo /premium

Paulo Tunhas

Os missionários de esquerda vivem isolados do mundo numa bolha que generosamente lhes permite uma espécie de solipsismo colectivo. Só eles, como um todo, existem, só eles são dotados de alma.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)