Depois de um pedido de casamento invulgar, publicado na forma de um classificado no jornal The Times, a notícia é outra: Benedict Cumberbatch, 38 anos, vai ser pai. O representante do ator britânico, que ficou conhecido pelo papel de Sherlock Holmes na minissérie de sucesso da BBC, confirmou à Hello Magazine que ele está à espera do primeiro filho com a noiva e colega de profissão Sophie Hunter, 36 anos.

Os rumores em torno do futuro bebé da estrela de “O Jogo da Imitação” começaram a circular esta quarta-feira de manhã, quando uma fonte contou ao Page Six que Benedict estava “encantado por vir a ser pai e a planear casar-se mais cedo do que o esperado, nos próximos meses”. A mesma fonte acrescentou que Shopie Hunter está grávida de poucos meses e que o casal está discretamente a planear o casamento para o início da primavera.

A novidade tornou-se viral e provocou as mais diversas reações que inundaram a internet, conta o Daily Mail — desde mensagens de congratulações a alguns lamentos e palavras hilariantes –, não fosse Cumberbatch, tal como diz a New York Magazine, o “namorado coletivo da internet”.

https://twitter.com/SANGSTERBATCH/status/552893485440065536

O romance entre Cumberbatch e Sophie sempre foi discreto e gerou especulação desde o início. Até aos primeiros dias de novembro, o casal tinha sido visto em público uma única vez, no torneio de ténis French Open, realizado em junho de 2014. O pedido de noivado, realizado há dois meses de forma antiquada e elegante, segundo o Independent, mais parecia um excerto retirado de um dos romances de Jane Austen: “O noivado está anunciado entre Benedict, filho de Wanda e Timothy Cumberbatch de Londres, e Sophie, filha de Katharine Hunter de Edimburgo e Charles Hunter de Londres”.

Hunter e Cumberbatch conheceram-se em 2009 durante as gravações do filme “Burlesque Fairytales”, cujo enredo é passado num teatro londrino. A agora noiva de um dos atores do momento estudou línguas modernas na Universidade de Oxford e só depois escolheu um caminho ligado à representação, além de ser diretora de um teatro. Em 2007, Hunter foi distinguida com o prémio Samuel Beckett por escrever e realizar a peça avant-garde “The Terrific Eletric”.