O novo álbum da artista britânica PJ Harvey vai ser gravado num estúdio personalizado construído junto à Somerset House, um museu e fórum cultural em Londres. Durante quatro semanas, Harvey e a sua equipa de produção irão reunir-se por trás de uma parede de vidro à vista de todos, como se de uma “escultura sonora mutante” se tratassem.

O estúdio, construído no antigo ginásio dos trabalhadores da Inland Revenue, um departamento do Governo britânico responsável pela colheita de impostos, é composto por paredes feitas de vidro, que permitirão aos visitantes acompanhar todos os passos da gravação do novo álbum da cantora. Esta é a primeira vez que uma artista com o estatuto de PJ Harvey decide partilhar a gravação de um disco de forma tão aberta, desmistificando aquele que é um dos processos musicais mais secretos — o processo de criação e gravação.

À Pitchfork, PJ Harvey disse que queria que o projeto — “Recording in Process” — operasse “como se estivessemos dentro de uma exposição numa galeria”. “Espero que os visitantes consigam experienciar a energia do processo de gravação”. Michael Morris, co-diretor da Artangel, uma das organizadoras do projeto, explicou que o processo pode nem sempre ser agradável. “Há visitantes que vão assistir a períodos monótonos, a afinação de um baixo, a integração de uma secção de metais. Haverá outros que vão apanhar a gravação integral de algumas músicas, do princípio ao fim. É como a lotaria”, referiu.

O projeto “Recording in Process” vai estar patente na Somerset House entre os dias 16 janeiro e 14 de fevereiro. Os bilhetes custam 15 libras (19 euros) e dão acesso a 45 minutos de gravação, mas já estão esgotados. O último álbum de PJ Harvey, Let England Shake, foi lançado em 2011. O disco, um conjunto de músicas inspiradas em vários conflitos mundiais, foi premiado com um Mercury na categoria de melhor álbum do ano.