Vítor Pereira já foi apresentado como o novo treinador do Olympiacos. O treinador português chegou a ser associado ao Sporting quando as águas ainda estavam turvas entre Bruno de Carvalho e Marco Silva, mas nada aconteceu. Agora, e depois de treinar o Al Ahli (26 jogos, 12 vitórias, nove empates e cinco derrotas), o português tem um novo desafio no estrangeiro: Grécia.

“Só as vitórias agradam aos adeptos. (…) No futebol, os adeptos não gostam só de resultados, também querem futebol de qualidade. Gosto de ganhar com intensidade e agressividade, essa é a minha personalidade, é o meu jogo, e é isso que vou tentar provar. Não venho pelo fiz, mas pelo que irei fazer”, disse, na conferência de imprensa.

Em Portugal era conhecido pelo ar carrancudo, sério, rigoroso, pouco falador, mas foi na Arábia Saudita que abriu o livro e virou tudo do avesso, com declarações como “I speak the true!” (eu falo a verdade) ou “I speak from the heart!” (eu falo do coração) quando criticava com dureza a atuação de um jogador em particular. A exaltação surgiu quando o assessor de comunicação o convidou a baixar o tom e a evitar criticar os próprios jogadores. Recorde em baixo este momento memorável.

Vítor Pereira, até aqui comentador da RTP Informação, chega a Atenas para substituir Michel, que havia sido despedido na terça-feira devido a maus resultados e à degradação da relação entre treinador e direção. O espanhol substituiu Leonardo Jardim, atual treinador do Mónaco, no cargo em janeiro de 2013. Jardim assinava então 14 vitórias e três empates em 17 jornadas, o que se traduzia numa liderança isoladíssima, mas desavenças com o presidente levaram-no ao despedimento. Michel aproveitou a embalagem e foi campeão depois de o português preparar caminho. Na segunda época também festejou a conquista do título, mas esta terceira estava a ser mais complicada. O Olympiacos segue na segunda posição, a um ponto do líder PAOK, onde joga Miguel Vítor.

Vítor Pereira esteve dois anos como treinador do FC Porto (2011-2013), onde foi campeão. Em 60 jogos para a Liga Portuguesa, o treinador assinou 47 vitórias, 12 empates e apenas uma derrota, que aconteceu com o Gil Vicente (1-3), em janeiro de 2012.

“Este clube alimenta-se de títulos, que é o que eu também procuro para a minha carreira”, disse sobre o Olympiacos, na apresentação. “Ganhei títulos em Portugal e quero continuar a ganhar aqui”. Os últimos tempos deste clube helénico têm sido realmente gloriosos: o Olympiacos ganhou 16 campeonatos desde 1997. O mesmo é dizer que só não ganhou em 2004 e 2010.