A venda de bens ao exterior recuou 0,4% em novembro, em termos homólogos, depois de ter crescido 9,1% em outubro, enquanto as importações aumentaram 2,8% (1,6% em outubro), segundo estatísticas divulgadas nesta sexta-feira. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a desaceleração no ritmo das exportações foi influenciada pela evolução do comércio extracomunitário, com as vendas a países terceiros a diminuírem 1,4% face a novembro de 2013, refletindo sobretudo o decréscimo dos combustíveis minerais, em especial gasolinas, gasóleos e fuelóleos.

Já as exportações dentro do espaço comunitário registaram uma variação nula face ao mês homólogo de 2013. Em termos de variação mensal, as exportações diminuíram 10,5%, refletindo a redução registada na totalidade dos produtos vendidos para fora da União Europeia (sobretudo combustíveis minerais, máquinas e aparelhos e veículos e outro material de transporte), e as importações caíram 10%, devido essencialmente ao comércio intra-União Europeia.

Entre setembro e novembro de 2014, as exportações aumentaram 4,2% e as importações aumentaram 3,6% face ao período homólogo, tendo o défice da balança comercial crescido 21,4 milhões de euros, para 2.770,8 milhões de euros.