O Benfica jogava o futuro na Europa e fazia-o bem cedo. Logo a 30 de setembro, no arranque da temporada, e por culpa de uma derrota no Estádio da Luz. No antigo, pois estamos em 1999. Uma semana antes perdera com o Dinamo, o de Bucareste, e havia a desvantagem de um golo para ir recuperar à capital romena. Conseguiu-o e fez mais: até venceu por 2-0. Mas um jornal desportivo romeno avançou que, antes, ter-se-á passado algo.

O ProSport, o tal diário, escreveu que, a horas do início do encontro e num hotel chamado Crowne Plaza, localizado a cerca de nove quilómetros do Estádio Cotroceni — onde se realizou a partida –, houve uma reunião. Um encontro entre Jupp Heynckess, alemão que treinava o Benfica, e Valentin Nastase, defesa romeno do Dinamo. O jornal não especificou o tema ou motivo da conversa, mas lembrou o que aconteceria depois no jogo.

Em dez minutos, aos 49’ e aos 59’, o tal jogador viu dois cartões amarelos e foi expulso. O segundo deles surgiu dois minutos após Ricardo Rojas, defesa paraguaio dos encarnados, também ter visto um cartão vermelho. E aqui moram as suspeitas do jornal ProSport — quando Nastase foi expulso, o Benfica vencia por 1-0 (golo de Maniche) e a eliminatória ainda estava empatada. Eis o fundamento que Paulo Madeira, em conversa com o Observador, vê como “tão nulo que nem vale a pena comentar”.

O ex-internacional português, aliás, “nem [se] lembrava que tinha jogado contra o Dinamo de Bucareste”. Questionado sobre se guarda na memória algo de estranho que se tivesse passado no tal encontro, Paulo Madeira garantiu que “sinceramente, não [se] recorda mesmo de nada”. O antigo defesa do Benfica, hoje com 44 anos, atuou durante todos os 90 minutos da partida. “Quando as coisas acontecem de maneira diferente até ficam na memória, mas aqui não. É pura especulação. Não tenho pachorra para isto”, confessou o antigo jogador.

O Observador questionou o Dinamo de Bucareste sobre as alegações do ProSport, mas não obteve resposta até ao momento. “Se fosse o Jupp Heynckes até processava o jornal romeno. Mas está tudo maluco?”, chegou a dizer Paulo Madeira.

Já Valentin Nastase, ex-jogador do Dinamo e hoje com 40 anos — retirou-se da competição em 2013 –, negou as alegações. Ao mesmo diário, o romeno defendeu que a história “não é verdade” e indicou que “nem era para jogar essa partida” devido a problemas físicos. “O treinador pediu que fizesse um esforço”, argumentou.

O Benfica venceria o encontro por 2-0 (o segundo golo seria marcado por Chano) e continuaria até à segunda ronda da Taça UEFA — na qual perderia com o Celta de Vigo, com um resultado de 8-1 no conjunto das duas mãos. “Já se passaram tantos anos, não faz sentido nenhum comentar estas coisas. Se fosse um jornal inglês ainda comentava, mas ainda por cima vem de um jornal romeno”, concluiu Paulo Madeira.