Os rebeldes da milícia xiita Houthi e o Presidente do Iémen, Abd-Rabbu Mansour Hadi, chegaram a acordo para pôr fim à crise que se intensificou durante esta semana, escreve a agência France Press.

O acordo tem nove alíneas, segundo a mesma agência noticiosa, e prevê que a milícia abandone os edifícios governamentais tomados em troca de cedências num novo rascunho constitucional.

Era esperado que as duas partes chegassem a acordo esta quarta-feira, com o Presidente a aceitar as exigências dos rebeldes para levar a cabo mudanças constitucionais e partilhar o poder.

Os rebeldes Houthis chegaram à capital do Iémen, Sanaa, há quatro meses, tornando-se a força dominante no país. Na terça-feira, os combatentes xiitas tomaram as instalações da Presidência do Iémen, depois de confrontos com os guardas que duraram dois dias. Tanto os Houthis como aliados do Presidente negam que este tenha sido deposto.

Os combates de segunda e terça-feira na capital do Iémen, Sanaa, fizeram 35 mortos e 94 feridos entre milicianos xiitas, forças de segurança e civis, segundo fontes médicas e dos serviços de emergência.