Custam 3.369 euros, mas não espere fogo-de-artifício. As sabrinas que a Josefinas lançou esta terça-feira podem ser as mais caras do mundo – é pelo menos o que diz a marca portuguesa – mas são simples e sóbrias: todas em azul escuro e com uma joia de ouro e topázio azul ao centro. Feitas à mão desde a sola à caixa onde se guardam, as Sal Azul Persa são as mais valiosas de uma coleção de quatro modelos inspirados no oriente.

Sofia Oliveira, da comunicação das Josefinas, garante ao Observador que a pedra preciosa está bem cosida e que não vai soltar-se com uma correria qualquer. O topázio azul encaixado numa estrutura de ouro – uma criação de joalheiros portugueses pensada para estes sapatos e feita à mão – é para onde se dirige primeiro o olhar. Mas todo o sapato, desde a sola à palmilha em pele, passando pelo tecido de toque aveludado, foi criado com o cuidado de uma preciosidade, garante Sofia. “São peças exclusivas, feitas completamente à mão por pessoas que perdem muitas horas para criar um produto único, como com uma peça de joalharia”, conta.

Estas sabrinas querem ser uma homenagem a todas as outras desta marca, feitas igualmente à mão por mestres sapateiros. Mas querem também ser as mais caras do mundo – as mais caras que a marca encontrou na internet rondavam os dois mil euros, na Jimmy Choo. “Porque não arrojar?”, comenta Sofia, “o nosso objetivo é que a cliente sinta que está a receber uma joia”. E por isso a caixa dos sapatos é debruada a dourado, construída à mão e desenhada a pensar nas duas pedrinhas e nos sapatos que vêm com elas.

josefinas caixa

“Como com as outras josefinas, a ideia era que fossem simples, elegantes, e isso pode ser surpreendente, já que são tão caras”, diz Sofia, atribuindo o preço elevado não só à pedra preciosa mas à qualidade dos materiais e à mão-de-obra. Tal como acontece com os restantes modelos da coleção 1001 Noites, cujos preços estão entre os 219 e os 319 euros.

Das Sal Azul Persa só há um par feito e ainda nenhum outro encomendado. A empresa portuguesa gostava que o primeiro par vendido ficasse no país, mas Sofia diz que a coleção 1001 Noites está a olhar para mercados como o Dubai e os Estados Unidos, que já respondem positivamente a esta marca.

Se vai comprar estas sabrinas de 3.369 euros, talvez este não seja um factor decisivo, mas os portes são gratuitos.