A Autoridade do Medicamento (Infarmed) e a ASAE revelaram, na quarta-feira, que em 98 produtos destinados ao emagrecimento ou à melhoria do desempenho sexual, 27 produtos continham substâncias com atividade farmacológica não declaradas no rótulo que constituem um “risco para a saúde pública” e por isso foram retirados do mercado. As análises foram feitas em 2014 e esta quinta-feira divulgados os nomes dos suplementos.

Dos 27 suplementos, cinco destinam-se ao emagrecimento e 22 à melhoria do desempenho sexual: Brazul, PingGuoCu, Paiyouji, Bioficus Plus, Slimlimão, Desire, Powertabs, Maxium, Puragra, Viamax Desire, Man Power, iErect, Libializ, Provigor, Vitax, Tauron, 48, Libid-Up for him, Protezon Forte, Protezon Lady, Libimix, Orgasmix, Power Strips, Furunbao, Kasutra, Megaplus e Power Strips.

As recolhas foram efetuadas por equipas especializadas de peritos, em retalhistas e distribuidores de suplementos alimentares e após análise efetuada pelo laboratório do Infarmed, I.P. e “atendendo a que estes produtos contêm substâncias ativas não declaradas e não foram avaliados como medicamentos (…) são considerados como medicamentos ilegais”.

Perante estas conclusões, para além das ações em curso desencadeadas pela ASAE e pelo Infarmed, as autoridades determinaram que “as entidades que disponham dos referidos produtos, não procedam à sua venda ou dispensa” e que “os utentes que tenham adquirido estes produtos não os utilizem”.

 

 

Documentos