Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Cortes de Cima branco 2013 foi eleito o melhor vinho branco seco internacional no concurso Vinalies Internationales 2015, em Paris. Mas sem concorrer diretamente com os brancos franceses, como explica a Revista de Vinhos.

De acordo com a mesma publicação, o vinho produzido na região de Vila Nova de Milfontes pelo dinamarquês Hans Jorgensen, foi o que reuniu a pontuação mais alta do concurso em que Portugal foi o segundo país mais premiado.

O vinho distinguido é produzido no litoral alentejano, feito com Alvarinho e Sauvignon Blanc e Viognier da Vidigueira. Cada garrafa custa 11 euros nas garrafeiras nacionais.

Segundo o site da Revista de Vinhos, Portugal alcançou o segundo melhor desempenho global por países, ficando atrás da França.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Porto Feuerheerd’s Colheita de 1975 foi o melhor na categoria de fortificados.

Os vinhos portugueses conquistaram 79 medalhas – 25 de ouro e 54 de prata. A casa Sogrape conseguiu sete medalhas de ouro e a Casa Ermelinda Freitas três.