Muitos rappers, mesmo que já sejam conhecidos, têm outras profissões um pouco mais correntes do que rimar ao microfone por cima de batidas. O nova-iorquino Action Bronson, por exemplo, é chef, e Cappadonna, membro do Wu-Tang Clan, passou uns anos a trabalhar como taxista em Baltimore, mesmo depois de ter participado em álbuns que vendiam milhões de cópias.

O português Regula, o nome pelo qual Tiago Lopes faz e edita música, é outro caso desses. Quando não está a esgotar a lotação do andar de baixo do Lux em concertos, a gravar vídeos ou a rimar em faixas de 5-30, sozinho ou em colaboração com gente como Sam The Kid, Valete, Blaya ou Carlão, está a cortar cabelo. E não só aos amigos: o rapper abriu, no início de março, a sua própria barbearia nos Olivais, em Lisboa, chamada Pente Fino.

Não é, contudo, o único rapper barbeiro que existe por aí. Em Portugal, por exemplo, existe Short Size, que não só trabalhou ao lado de Tiago na Vasco’s Barbershop, nas Olaias, mas também já colaborou com ele. Killer Mike, antigo associado de OutKast, colaborador de Jay Z e UGK e metade do badalado duo Run The Jewels – que atua no Nos Primavera Sound deste ano –, também tem uma barbearia em Atlanta, Geórgia. Só que Mike ainda não tem sequer licença de barbeiro, é um mero aprendiz.

Já para não dizer que, com a vida de estrada muito mais intensa, as probabilidades de entrar na Graffitis Swag e estar lá o próprio Killer Mike a atender pessoas são ínfimas. Não é o caso de Regula, que pelo menos durante esta fase inicial estará diariamente na Pente Fino, das 09h00 às 20h00, sempre que puder.

pentefino4

O interior da nova barbearia de Regula.

Tiago iniciou-se nas lides do cortar cabelo no ano 2000, no bairro do Catujal, Loures, onde ainda hoje vive. “Comecei a treinar com os putos do meu bairro. Em 2002 já cobrava cinco euritos, porque já começava a cortar fixe e tinha pessoal a pedir”, conta. “Em 2003, comecei na Chiquinha, a mãe do Djaló, em Chelas, depois fui para o Senhor António, na Quinta da Piedade, a seguir voltei para a Zona J, para o Pinto, seguido do Johnny, que hoje é a Didi Barbershop [Olaias], depois para o Vasco’s e foi nessa altura que me safei na música.”

Isto aconteceu em 2012, ano em que foi lançado o single “Casanova”. “Teve uma grande explosão e comecei logo a ter concertos. Quando saiu o Gancho [álbum de 2013], deixei mesmo de ir à barbearia. Tinha demasiados concertos marcados, já não conseguia estar lá. Mesmo quando ainda estava a gravar, deixavam-me sair mais cedo e às vezes chegava mais tarde. Foi bom começar a viver da música, um sonho tornado realidade.”

Passada essa etapa, Regula esteve uns tempos só a cortar cabelo aos amigos próximos e colaboradores musicais, no estúdio onde 5-30, o trio com Fred Pinto Ferreira e Carlão, ou Pacman, nasceu. Agora, voltou à carga com a Pente Fino. E é lá que Regula corta todas as semanas o cabelo a Sam The Kid e a vários outros rappers portugueses que já passaram por lá, como o portuense Jimmy P. O dono quer fazer da Pente Fino um ponto de encontro e de passagem, um “local de referência”. “Queria ter um sítio para estar e construir um futuro. Não quero anunciar a minha despedida, mas não quero estar com 50 anos e a ter anos como tenho tido nos últimos tempos, sempre na estrada. Estou muito grato e não quero isto se vá já embora, mas não me estou a ver com essa idade a fazer isto. Quero dar quatro, cinco concertos por ano, mas pelo gosto”, explica.

Isso não quer dizer, porém, que o ritmo de apresentações vá abrandar nos próximos tempos, já que o rapper tem as contas bem feitas e sabe que “até chegar aos 50 ainda faltam 18 anos”. Mas sabe que nessa altura quererá “estar mais estabilizado, mais calmo, não andar nessa correria”.

pentefino2

Num dos cantos do espaço, há espaço para fotografias de Regula.

Ao contrário de outras barbearias recentemente mediáticas, como a Figaro’s, aqui não só mulher entra, mas também está servida. Há um cantinho para manicure, depilação e outros cuidados estéticos, com uma esteticista lá o dia inteiro – além de Tiago, há outro barbeiro também a full-time na loja –, e das duas uma: ou passa a ter uma cabeleireira a trabalhar lá ou será o próprio Regula a especializar-se no corte de mulheres. “Tenho duas tias cabeleireiras, quero ir lá reaprender, porque só cortei cabelo a mulheres quando estava a tirar o curso, nunca mais. Fui para o barbeiro e é só homens. Já vieram cá mais de cinco mulheres para cortar as pontas e um gajo pelo menos faz o corte. Até quero ser eu a continuar porque sabes que as mulheres gostam de ser atendidas por homens.”

Olivais Norte foi a zona escolhida porque, além de o rapper ter nascido nos Olivais Sul, já morou lá e tanto dá jeito aos clientes que já tem que vivem em Loures quanto àqueles que vêm de Lisboa. Está perto do metro de Moscavide e de auto-estradas, numa zona dada a barbearias. “Moscavide sempre teve e tem vários barbeiros, mas hoje há tanta gente que, mesmo que não vás enriquecer, dá para todos.” É uma barbearia que recompensa clientes habituais e que, apesar de aproveitar a fama de Tiago Lopes enquanto rapper para se estabelecer, até porque é dos poucos sítios onde Casca Grossa, o seu novo álbum, está à venda (também é possível comprá-lo noutras barbearias, mas não em FNACs), e fará parte de projetos futuros do artista, não terá nunca um Facebook associado, garante o dono. “Vai estar ligado às minhas páginas no Facebook e no Instagram, mas não quero fazer uma página só para isto. É um salão normal, quem quiser aparecer vai aparecendo, as pessoas vão conhecendo e confiando confiança e pronto”, a Pente Fino vai crescendo.

Nome: Pente Fino
Morada: Rua Alberto Macbride, Loja 7B-7C, Olivais.
Horário: Aberta de segunda a sábado, das 09h00 às 20h00