Rádio Observador

Amor

Guia do engate: conheça os sinais típicos

284

Sorrir, olhar e mexer no cabelo são as principais indicações delas. Arranjar a roupa, levantar as sobrancelhas ou dar o braço os tiques deles. Leia este curto manual para melhor seduzir e namorar.

Homens e mulheres enviam alguns sinais sobre o que estão a sentir por terceiros

Getty Images

Há uma ciência por trás da arte de namoriscar. Mas saber se alguém o está a seduzir também exige uma perspicácia notável. Nestas coisas do amor, nem tudo é um golpe de sorte.

Susan Rabin é terapeuta de casais, trabalha na área do coaching nos Estados Unidos e lançou o livro “101 Ways to Flirt”. São 200 páginas de truques de engate e conselhos amorosos que o podem ajudar a conquistar – e a ser conquistado.

Segundo a terapeuta, há que elogiar, saber conversar, demonstrar afeto e perder os medos. Mas muito do segredo está concentrado na linguagem corporal, até porque esta é muito semelhante em todo o mundo.

De um modo geral, aponte este como principal conselho: nunca fale sobre o último namorado ou namorada que teve nos primeiros tempos do romance. Dos outros, o ABC lista mais alguns.

 

Os sinais que elas lançam

  • Sorriso

O sorriso é uma arma muito importante no universo feminino e das primeiras coisas que elas deixam transparecer. E é relativamente fácil distinguir um riso educado de um sorriso de interesse.

  • Olhar

Depois vem o olhar: é comum que as mulheres interessadas em alguém lancem olhares curtos e repetitivos. Mas se este olhar se tornar mais longo e direto enquanto conversam, então é porque o que está a dizer a agrada.

  • Gestos

Há também gestos que demonstram que uma mulher gosta de alguém, como mexer no cabelo, inclinar suavemente a cabeça ou humedecer os lábios. E mesmo durante uma conversa, elas deixam escapar sinais dos seus sentimentos: quando se inclinam sobre alguém enquanto falam – ou se pedem que a outra pessoa o faça – então é porque estão interessadas que lhe invadam o espaço pessoal. Mas cuidado: não se torne demasiado invasivo. Não é isso que elas pretendem.

Os sinais que eles usam

  • Tiques

É que eles também não resistem a mostrar alguma emoção. Os homens têm tendência a endireitar a roupa ou os acessórios quando estão próximos da mulher por quem têm aquele fraquinho.

  • Olhar

O olhar também é importante para eles. Se levantam as sobrancelhas e abrem mais os olhos quando a ‘miram’, então é provável que estejam interessados em si.

  • Gestos

Oferecer o braço enquanto caminham não é coisa do passado: este gesto masculino prova que ele a quer próxima e em segurança junto a si. E, já agora, longe da concorrência, explica Rabin. Além disso, significa que não tem receio nenhum que os outros – homens e mulheres – os vejam juntos.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Amor

O último tabu: que não se adie o amor! /premium

Eduardo Sá
843

Ao contrário do que parece, primeiro não nasce a paixão; e, só depois, o amor. A paixão não é a porta de entrada do amor. A paixão é o lugar mais longínquo a que se chega com o amor!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)