Foi no sábado à noite, 25 de abril, que tudo aconteceu. A história parece saída de uma qualquer comédia ao jeito de Hollywood, mas a verdade é que a notícia junta numa mesma equação duas variáveis improváveis: um dos maiores cérebros da humanidade e uma boyband dos tempos modernos.

O astrofísico Stephen Hawking, imortalizado na longa-metragem A Teoria de Tudo, estava a discutir, entre outras coisas, o universo e o futuro do planeta num evento na Sydney Opera House. Ainda que não estivesse fisicamente em território australiano, marcou presença a partir de Cambridge ao ser projetado na forma de um holograma em 3D. O contributo do professor foi interrompido quando alguém da audiência colocou uma questão, no mínimo, inesperada.

“Qual pensa ser o efeito cosmológico causado pelo facto de Zayn ter saído dos One Direction e, consequentemente, ter partido o coração a milhões de adolescentes no mundo todo?”, cita o Buzzfeed Australia. A resposta, que seguiu o mesmo tom, foi criativa: “Finalmente, uma pergunta importante”, disse Hawking, dando origem a uma onda de risos.

“O meu conselho para qualquer rapariga de coração partido é para prestar muita atenção ao estudo da física teórica. Porque um dia podem muito bem existir provas de múltiplos universos. Não seria além dos reinos da possibilidade que, algures fora do nosso próprio universo, exista um universo paralelo. E, nesse universo, Zayn ainda está nos One Direction”, continuou.

Zayn Malik, um dos mais populares membros dos One Direction, abandonou a banda no passado mês de março, alegando motivos de stress e por querer viver “uma vida normal de um rapaz de 22 anos”. As fãs choram nas redes sociais, mas a banda continuou o seu rumo no mundo artístico. Para quem continua inconsolável, este talvez seja um sinal de que, afinal, nem tudo está perdido.