Na noite de 23 para 24 de junho, há um ritual que milhares de portuenses cumprem: sair de casa, comer sardinhas assadas, martelar cabeças alheias, tentar proteger o nariz das flores de alho-porro, ver o espetáculo de fogo-de-artifício e, para os mais resistentes, caminhar desde a Baixa até às praias da Foz. Mas há muito mais para aproveitar na maior festa da cidade do Porto. Seja para os que preferem o São João dos bailaricos, seja para aqueles que procuram programas menos tradicionais, o Observador foi esmiuçar o programa das festas e deixa várias sugestões para esta terça-feira (e uma para relaxar no dia seguinte).

Em equipa vencedora não se mexe, pelo que quem procura o ambiente mais tradicional e castiço do Porto (e não tem medo de multidões) deve rumar às Fontainhas. Na Praça Velasquez, na Foz do Douro e na Cordoaria não há nada que enganar: o fumo da sardinha assada anda no ar, lançam-se balões em direção ao céu e as sonoridades deverão passar pela chamada música pimba e algum forró, com incursões pela cada vez mais popular kizomba. Na Rotunda da Boavista há um bónus, já que é ali que está instalada a maior roda gigante que alguma vez passou por Portugal. Destaque ainda para o Bailarico de São Bento, a partir das 20h00 junto à Estação de São Bento, e que conta com a mão do Plano B e do Pitch Club, num híbrido entre festa urbana e popular.

Porto, 23/ 06 / 2013 - Festejos da festa de são joão na cidade do Porto. Comerciantes nas Fontaínhas aguradam a noite festiva. ( José Mota / Global Imagens )

À procura da festa mais popular de São João? Dirija-se às Fontainhas, de preferência pela hora de jantar. ©José Mota / Global Imagens

No que toca a concertos, a música ao vivo começa na Avenida dos Aliados às 22h00, com os DJs de Vacaciones. À mesma hora, mas no Cais de Gaia, vai estar a fadista Mariza, num concerto que se adivinha muito concorrido. Quem preferir ficar nas Fontainhas terá direito a ver Bandalusa, mítica banda popular do Porto. De volta à Avenida dos Aliados, mas à uma da manhã, os presentes vão poder cantar e dançar com José Cid. Todos os concertos são gratuitos.

Ao bater das doze badaladas, é hora de olhar para o céu e assistir ao fogo-de-artifício. A Ribeira é, simultaneamente, o melhor e o pior sítio público para se assistir ao espetáculo, que terá a duração de 15 minutos. A visão que se consegue em frente ao Rio Douro é desafogada, mas o local não é aconselhado a quem não se dá bem com grandes multidões. O maior problema dá-se no final do espetáculo de pirotecnia, quando toda a gente tenta sair dali, mas por diferentes saídas, provocando um caos de encontrões. Se não quer optar por um restaurante com vista (quase todos esgotados por esta altura, desde o luxuoso The Yeatman ao popular Guindalense), nem por uma das embarcações estacionadas no rio, o melhor é tentar o Cais de Gaia ou a Sé. Ainda assim, convém ir cedo para conseguir um bom lugar.

Depois de mais um copo de vinho carrascão e de exercitar mais um pouco o martelo de plástico nas cabeças que passam, é hora de caminhar  junto ao rio em direção às praias da Foz. O caminho é longo – à volta de sete quilómetros – mas terá milhares de pessoas a fazer o mesmo e poderá fazer pausas nos vários bailaricos que se encontram pelo caminho. A recompensa é o nascer do dia na praia, com as ondas como banda sonora.

Banda Sinfonica Portuguesa

Se o ambiente popular não é o que procura, na Casa da Músia há um concerto clássico gratuito em noite de São João. ©D.R.

Cansado das multidões, das sardinhas e da música popular? Há várias soluções alternativas. A pensar no quão difícil é para os vegetarianos encontrarem petiscos vegetarianos em noite de santos populares, o partido PAN – Pessoas-Animais-Natureza promove, pelo sexto ano consecutivo, o evento São João Vegetariano, junto à Igreja de São Francisco.

Para quem prefere a música clássica à popular (e ambientes mais organizados), a Banda Sinfónica Portuguesa dá um concerto de São João, às 22h00, na Sala Suggia da Casa da Música, com uma incursão nas linguagens do jazz. Depois do concerto, a noite de São João prolonga-se ao ao livre com a música pop de PZ, que apresenta o novo álbum Mensagens da Nave-Mãe. Músicas como “Cara de Chewbacca”, “Croquetes” e “Tu És a Minha Gaja” são alguns exemplos das letras provocantes, irónicas e descomplexadas que têm conquistado cada vez mais fãs. A entrada em ambos os concertos é gratuita.

freshkitos

Se a madrugada pede sons eletrónicos, não faltam opções. ©www.facebook.com/freshkitos

Os muitos espaços noturnos da Invicta oferecem, cada um, a sua festa. Por exemplo, a partir das duas da manhã, o Hard Club abre as portas a quem quer ouvir trance e tecno (bilhetes a cinco euros). O Porto Rio aproveita para celebrar o 14.º aniversário com sonoridades semelhantes – trance, drum &bass e techno. Três ambientes à disposição em troca de cinco euros de entrada.

Com vontade de dançar durante 10 horas seguidas? Se sim, vai poder fazê-lo na discoteca Gare Porto, entre as 01h00 e as 11h00. Há Freshitos, Steve Parker, Yassine Peixoto e muito mais. A entrada custa 10 euros, com oferta de uma bebida até às quatro da manhã.

Por fim, e para recuperar da noitada, não perca às 17h00 de quarta-feira a 32.ª Regata de Barcos Rabelos, as famosas embarcações portuguesas que transportavam as pipas de Vinho do Porto desde o Alto Douro Vinhateiro até Vila Nova de Gaia e Porto. Os 14 barcos em competição partem do Cabedelo e a chegada da regata está prevista para junto da Ponte Luís I.

Vila Nova de Gaia, 24/06/2013 - Realizou-se hoje à tarde a regata de barcos Rabelos no rio Douro entre o Cabedelo e a ponte D. Luis I no Porto. ( Pedro Correia / Global Imagens )

A regata de barcos Rabelos no rio Douro acontece sempre no dia 24 de junho. © Pedro Correia / Global Imagens