Os preços das casas aumentaram 0,8% nos primeiros três meses do ano, ainda que a um nível inferior ao trimestre anterior, tendo sido transacionados 25.716 alojamentos, mais 38% do que no período homólogo. Segundo os dados divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o preço das habitações tem vindo a desacelerar desde o terceiro trimestre de 2014 (com variações de 4,9% e 2,2% no terceiro e quarto trimestres do ano passado, respetivamente), mas com comportamentos distintos para as casas novas e usadas.

Enquanto os alojamentos existentes registaram um aumento do nível médio dos preços (2,1%), os novos apresentaram uma variação negativa (-1,1%), pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2013. Face ao trimestre anterior, o índice de preços da habitação manteve-se inalterado (-0,3% entre o terceiro e o quarto trimestres de 2014), com as casas novas a registarem um acréscimo de 0,2% e as usadas uma redução de 0,2%.

Do total de alojamentos transacionados, que registaram a variação mais elevada desde 2010, 78,4% correspondiam a casas usadas, cujas vendas cresceram 46,7% (17,1% no trimestre anterior), enquanto as transações de alojamentos novos aumentaram 14,6%, em contraste com as reduções dos dois trimestres anteriores.