A polícia de Singapura informou hoje ter congelado duas contas bancárias alegadamente ligadas à investigação aberta por negligência e presumíveis subornos pagos a favor do primeiro-ministro malaio, Najib Razak.

A ordem de congelamento dos movimentos das referidas contas foi emitida na semana passada, indica um comunicado das autoridades de Singapura sem identificar, porém, os bancos envolvidos dado que a investigação se encontra ainda em curso.

O portal Sarawak Report e o diário The Wall Street Journal denunciaram no passado dia 03 que, segundo relatórios oficiais da Malásia, cerca de 700 milhões de dólares (635 milhões de euros) do braço oficial de investimento “1MDB” foram desviados para contas bancárias do primeiro-ministro malaio.

Najib e “1MDB” negaram desde o início a veracidade da informação divulgada.

O braço investidor do Governo malaio “1MDB” nasceu em 2009, e desde a sua criação acumulou perdas no valor de 42.000 milhões de ringit (10.003 milhões de euros).

As autoridades ordenaram este ano uma auditoria à empresa, que iniciou em março, para entender como se chegou a essa situação económica precária, e examinar acusações de subornos e de contratos fraudulentos.

O relatório definitivo deve ser apresentado no final do ano.