A carteira de encomendas de reabilitação urbana aumentou 1,3% em junho e 25,9% no 1.º semestre do ano, mas o nível de atividade recuou 2,7% mensais e acumula uma quebra semestral de 9,8%, segundo um barómetro.

De acordo com os dados do último Barómetro da Reabilitação Urbana da Associação dos Industriais de Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN), após uma “subida expressiva” de 9,6% em maio, o nível de atividade das empresas registou, em junho, um decréscimo de 2,7% face ao mês anterior.

Em termos semestrais, acrescenta, este indicador revela uma quebra de 9,8%, face ao semestre homólogo de 2013.

Quanto à opinião dos empresários relativamente à evolução da carteira de encomendas, verificou-se em junho uma subida de 1,3% face ao mês anterior, sendo que no acumulado do 1.º semestre este indicador registou uma melhoria de 25,9% em termos homólogos.

Segundo a AICCOPN, nos primeiros cinco meses de 2015 foram licenciadas pelas câmaras municipais 2.311 obras de reabilitação urbana, menos 18,8% do que as 2.847 licenças emitidas no período homólogo.

Por tipo de edifício, verifica-se uma quebra de 14,8% nos edifícios habitacionais e de 22,4% nos edifícios não residenciais reabilitados.