Se for a Veneza, pense duas vezes antes de entrar no popular museu Galleria dell’Accademia. Desde buracos na parede, fendas ou falta de escadas para deficientes, o museu veneziano do século XVIII está a ficar sem condições para os visitantes.

Quem o denuncia é Thomas Marks, editor da respeitada revista britânica Apollo, através de um artigo, garantindo que “não se recorda de ver um museu em condições tão ruinosas”. O que mais preocupa Marks não são as “paredes em desintegração”, mas sim a ameaça que o prédio constitui para os quadros expostos”.

http://twitter.com/MaggieGrayTweet/status/626723506911334400/photo/1

No artigo constam 8 imagens que ilustram as más condições existentes no Museu Galleria dell’Accademia. Marks queixa-se das escadas avariadas para deficientes, dos inúmeros buracos na parede e no chão, de suportes de quadros vazios e cheios de pó, fendas no chão e na parede, informação confusa e falta de luz. Para o editor do Apollo, o que o deixou mais aterrorizado foi a sala que alberga os muito procurados 9 quadros de Carpaccio do ciclo da “Lenda de Santa Úrsula”. Pode ver as fotografias aqui.

Mesmo com o esforço de renovar o Museu com 30 novas galerias, Thomas Marks considera que o museu não está em condições de expor aquelas obras de arte. Descontente, Marks garante que o “edifício está a cair aos bocados”.

Mas não é apenas o Galleria dell’Accademia que está com dificuldades. O Ministro da Cultura italiano publicou recentemente um documento com nomes de candidatos às diretorias de 20 museus italianos, numa tentativa de dar uma nova vida aos museus moribundos de Itália.