Nuno Campilho e Jorge Vilhena são presidente das juntas de freguesia de Oeiras e Carnaxide eleitos pelo movimento Isaltino Oeiras Mais à Frente (IOMAF) e são também candidatos a deputados nas listas da coligação PSD/CDS indicados pelos sociais-democratas. O facto de terem concorrido em Oeiras contra figuras do PSD não impediu de terem um lugar nas listas de Lisboa, de onde saíram pessoas como os atuais deputados António Rodrigues ou Mónica Ferro.

Segundo soube o Observador junto de fonte da distrital de Lisboa, a justificação é a de que se trata de dois independentes e que houve vontade em fazer uma lista mais abrangente para garantir “o equilíbrio de poder interno na distrital”.

O PSD esteve sempre muito dividido em Oeiras desde que o então presidente de câmara, Isaltino Morais, perdeu o apoio do PSD e se candidatou como independente pela primeira vez em 2005. Atualmente, a câmara é gerida por Paulo Vistas, herdeiro de Isaltino e também este eleito no movimento IOMAF.

Ao Observador, Miguel Pinto Luz, presidente da distrital, explica que Nuno Campilho e Jorge Vilhena foram indicados pela concelhia de Oeiras e são independentes e que “não há qualquer incompatibilidade”.