438kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Há 72 concelhos em Portugal onde o número de turistas no ano é maior do que a população residente

Este artigo tem mais de 5 anos

De acordo com um levantamento feito pela Pordata em 2013, alguns concelhos do país chegam a ter 10 vezes mais hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros que residentes.

Em Lisboa, o número de hóspedes superou o de residentes em 592,9% em 2013.
i

Em Lisboa, o número de hóspedes superou o de residentes em 592,9% em 2013.

AFP/Getty Images

Em Lisboa, o número de hóspedes superou o de residentes em 592,9% em 2013.

AFP/Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há 72 concelhos no país onde o número de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros é maior do que a população residente. Esta é uma das conclusões do levantamento realizado pela Pordata sobre a atividade turísticas nos concelhos do país em 2013, publicado esta semana.

Em alguns destes concelhos, o número de hóspedes recebidos ao longo do ano chega a ser 10 ou mais vezes superior ao número de residentes, como é o caso de Albufeira, onde a proporção entre o número de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros por 100 habitantes é de 2.970%. Seguem-se Vila do Bispo (1725,4%), Porto Santo (1112,4%), Vila Real de Santo António (1034,4%) e Lagoa (941,8%).

Comparativamente, a proporção em Lisboa foi de 592,9% e no Porto, 465,9%.

De acordo com os dados da Pordata, as regiões de Lisboa (área metropolitana) e Algarve concentram 37,5% dos estabelecimentos hoteleiros do país. No entanto, no ranking dos 10 municípios que concentram a maior oferta de hotéis, aparecem cidades que não fazem parte destas regiões, como Porto, Funchal e Ourém.

Quanto à procedência dos turistas, apesar de Portugal ocupar o 5º lugar entre os países da União Europeia no que diz respeito à percentagem de turistas a viajar no seu próprio país de residência, a maioria dos turistas hospedados no país são estrangeiros (57,8%).

Contudo, esta maioria verifica-se apenas em 34 concelhos, concentrados na Região Autónoma da Madeira, Algarve e na área metropolitana de Lisboa. Os municípios onde há mais turistas estrangeiros que nacionais são: Santa Cruz (84,8%), Funchal (84,4%), Ponta do Sol (83,8%), Lagoa (81,3%) e Machico (79,3%).

Estes números traduzem-se na taxa de ocupação hoteleira em 2013, em que 6 dos 10 concelhos com a maior proporção entre dormidas por 100 camas disponíveis estão localizados na Região Autónoma da Madeira.

E onde há menos hóspedes estrangeiros? Nas regiões do Norte, Centro e Alentejo. De acordo com a Pordata, a proporção em relação a turistas nacionais chega a 42,2%, 35,4% e 30,5%, respetivamente.

O levantamento realizado pela Pordata considera hóspede “o indivíduo que efetua pelo menos uma dormida num estabelecimento de alojamento turístico, […] contado tantas vezes quantas as inscrições que fizer no estabelecimento, no período de referência”. O instituto define ainda o termo estabelecimento hoteleiro como o lugar “cuja atividade principal consiste na prestação de serviços de alojamento e de outros serviços acessórios ou de apoio, com ou sem fornecimento de refeições, mediante pagamento”, o que inclui apenas “hotéis, pensões, pousadas, estalagens, motéis e hotéis-apartamentos (apart-hotéis), aldeamentos e apartamentos” — registados pela Pordata.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.