Mundo

O que têm em comum um ex-ministro da Grécia e outro de França? O estilo radical chic

316

Varoufakis, Montebourg e as respetivas mulheres fazem um grupo de sucesso, mas nas capas de revista e nos flashes. Passeiam os quatro, enquanto a política não volta a ocupar tempo.

AFP/Getty Images

Autor
  • Catarina Marques Rodrigues

Que as mulheres dos políticos podem vender tanto como os políticos, não é novidade. Se o glamour for característica do casal, melhor ainda. É neste grupo que entram os casais Yanis-Danae e Arnaud-Aurélie. Os quatro juntos dão o toque final para abrir o apetite de revistas e público em geral.

Os dois ex-ministros da Economia de França e Grécia e as respetivas mulheres são todos amigos e juntaram-se para um fim-de semana de descanso, a que o ABC chama “cimeira do radical-chic”. Ficaram num paraíso grego e as revistas cor-de-rosa alimentaram-se do encontro.

Há que recordar as fotografias da Paris Match, em que o casal grego se mostrava apaixonado em casa, a almoçar e a beber um  “copo de vinho de Santorini”. Ali é o “ninho de amor ao pé da Acrópole”, referia na altura o jornalista, naquela entrevista que causou polémica por dar uma imagem de excentricidade e riqueza num contexto de crise grega.

O radical chic tem que se lhe diga. O chic diz respeito sobretudo às mulheres dos políticos. Danae, por exemplo, encarna a mulher bonita, bem educada e elegante. O radical vem, claro, do partido Syriza. O ABC chama-lhe mesmo “o ministro de Economia mais radical da zona euro”. Arnaud de Montebourg, antigo ministro francês da Economia, demitiu-se há cerca de um ano e afastou-se de François Hollande.

O casal Montebourg foi à Grécia e o duo Varoufakis foi a França. O primeiro convidou o segundo para a Festa da Rosa Socialista de Frangy-en-Bresse, uma festa de esquerda, onde participaram numa espécie de “missa laica contra o socialismo de um François Hollande com uma noiva invisível”, descreve o ABC, fazendo referência a Julie Gayet. Os quatro também “cantaram à quarentena de Merkel e aos abomináveis sociais-democratas alemães, culpados das piores pragas europeias”, escreve o mesmo jornal. “A guerra política está por dentro” mas, por fora, Varoufakis, Montebourg e as respetivas esposas vão-se entretendo “a posar para a posteridade disfarçados de senhores e senhoras modernos”. Eis Varoufakis e Montebourg na festa em França:

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)