Apesar de prometer, na capa, e em letras maiúsculas, que pode salvar a vida do leitor (ponto de exclamação incluído), O Pior Cenário Possível, de Joshua Piven e David Borgenicht, editado originalmente em vários volumes, sob o título The Worst-Case Scenario Survival Handbook começa com um aviso, também ele em letras maiúsculas. E vermelhas.

O editor, os autores e os especialistas recusam qualquer responsabilidade por quaisquer ferimentos que possam resultar da utilização, própria ou imprópria, da informação contida neste livro”

Ou seja, a obra deve ser encarada com bastante leveza. E as ilustrações de Brenda Brown, que ilustram parte das cerca de 600 situações descritas, ajudam a que tal aconteça. Mais do que um livro útil de auto-ajuda (se é que eles existem) este é um livro bem-humorado com uma dose homeopática de utilidade.

150731-Pior-cenario-capa-mail

O livro é editado pela Marcador e custa 18,80€

As situações escolhidas — e respetivas dicas de resolução — estão divididas por temas: Saúde; Beleza & Boa Forma; Lar; Animais de Estimação; Desportos & Passatempos; No Emprego; Em Viagem; Relacionamentos & Família; Alimentos & Culinária e Fases da Vida. Ou seja, o espetro é bem alargado. Eis vários exemplos que pode e deve ter em conta caso se depare com eles. Até porque, como dizem os autores: “a vida é uma selva que começa já no nosso quintal.”

Bufete com um aspeto suspeito
“Sirva-se apenas de recipientes acabados de encher. Se tiver dúvidas quanto ao tempo durante o qual os alimentos permaneceram nos recipientes, espere até que o empregado traga um tabuleiro novo. Evite alimentos dos extremos do bufete, onde a proteção transparente não é tão eficaz, ou de zonas situadas por baixo de uma proteção que esteja suja. Evite marisco cru e alimentos com maionese, frequentemente responsáveis por intoxicações alimentares.”

Sem papel higiénico em casa de banho pública
“Chame os outros ocupantes e peça-lhes que passem papel de uma das outras cabinas. Utilize forras de assento descartáveis, se existirem. Se não existirem e se não tiver resposta de ninguém despeje o autoclismo, abra parcialmente a porta da cabina e espreite. Desloque-se rapidamente para a cabina adjacente e procure papel; ou então corra para o dispensador de toalhas de papel, agarre em várias toalhas e regresse à cabina.”

Perda de óculos
“Desenhe dois círculos com a dimensão aproximada de um par de lentes numa folha de papel ou cartão. Use um alfinete ou a ponta de uma faca afiada para abrir um mínimo de doze pequenos orifícios no interior dos círculos. Segure a folha diante do rosto e olhe através dos orifícios.”

perda oculos (1)

Ilustração de Brenda Brown (DR)

Paredes que sangram
“Chame um exorcista. Use um crucifixo ao pescoço. Se o sangue estiver a escorrer, use luvas de trabalho e limpe a área afetada com trapos embebidos numa solução de uma parte de água benta para quatro partes de água da torneira. Borrife as áreas manchadas com água benta. Se houver jorramento de sangue ou as camas começarem a levitar, abandone a casa e não volta a entrar até à chegada do sacerdote.”

Cão engasgado com um osso
“Agarre o cão pela cintura e por trás. Coloque o seu punho imediatamente atrás das costelas e comprima o abdómen do cão com três a cinco movimentos rápidos. Repita. Inspecione a boca do cão para garantir que o osso foi completamente removido. Se não conseguir desalojar o osso, leve imediatamente o cão ao hospital veterinário mais próximo.”

Areia no fato de banho
“Entre no mar. Afaste o fato do seu corpo, salte para cima e para baixo e sacuda-se de um lado para o outro, para permitir que a areia retida seja levada pela água.”

areiacalções

Ilustração de Brenda Brown (DR)

Lágrimas de cebola
“Guarde as cebolas no congelador durante 10 minutos antes de as cortar. Retire-as e corte ou pique imediatamente. Evite cortar a raiz da cebola, que contém a maior concentração de enxofre, responsável pelas lágrimas.”

Soluços incuráveis
Encha um copo alto com água. Segure o copo à sua frente e debruce-se sobre ele, de maneira a que a sua boca assente na borda mais afastada de si. Incline o copo elevando o fundo do mesmo em direção ao seu corpo e incline o topo na direção oposta; beba a água lentamente.

Preso num sofá-cama
“Agarre-se à borda superior da cama se tiver os braços livres e puxe a parte inferior do corpo para fora da secção articulada. Se tiver os braços presos, crave os calcanhares no colchão e empurre de forma a elevar a secção articulada o suficiente para mudar de posição. Arraste-se até à borda da cama, agarre-se a um braço do sofá e puxe o seu corpo até se libertar.”