Igor Stravinsky, maestro e pianista russo, foi considerado um dos maiores compositores do século XX. Depois de 100 anos perdida, a sua obra Pogrebal’naya Pesnya (“Canção Funeral”)  foi encontrada no meio de uma pilha de livros no Conservatório de São Petersburgo.

Stravinsky, conta o Guardian, compôs a “Canção Funeral” em memória do seu professor, Nikolai Rimsky-Korsakov. A obra foi ouvida apenas uma vez em 1909 e acreditava-se ter sido destruída em 1917 com o início da revolução e, depois, da guerra civil.

Alguns musicólogos russos acreditaram mesmo assim que os manuscritos podiam ter sido preservados no meio dos vários artigos não catalogados, na Filarmónica ou Conservatório de São Petersburgo. Apesar das várias tentativas para recuperar a obra, a União Soviética não autorizou as buscas, já que Stravinsky havia sido expatriado. Natalya Braginskaya, uma especialista na obra do autor russo, apesar de não estar autorizada a fazê-lo, tentou durante vários anos procurar os manuscritos com a ajuda de alguns arquivistas do Conservatório, sem sucesso.

No outono passado, o edifício foi esvaziado e um bibliotecário encontrou a obra do compositor atrás de um piano, no meio de milhares de partituras. Natalia Braginskaya, especialista no autor, anunciou a descoberta da obra perdida na sexta-feira, numa conferência sobre Stravinsky em São Petersburgo.

O compositor compôs a música quando tinha apenas 26 anos, pouco depois do início da sua carreira. A obra que ficou perdida durante 100 anos precisa agora de ser reconstruída.